Japonesinhos visitam Itaquera e fazem 'poropopó' com torcida do Corinthians

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

O que são 28 pontinhos vermelhos no meio de um mar preto e branco?

São, claro, jogadores de um time sub-15 do Japão visitando pela primeira vez a Arena Corinthians, em São Paulo.

Com seus agasalhos escarlate, os sorridentes japonesinhos de 13 ou 14 anos chamam a atenção de quem vê o jogo do outro lado do estádio e logo se entrosam com os torcedores ao redor, a maioria membros de torcidas organizadas como a Pavilhão 9, a Camisa 12, a Estopim e os Gaviões da Fiel.

Eles vieram ao Brasil participar de um intercâmbio com equipes da idade deles e essa é sua primeira vez em um grande estádio do país. E ficaram empolgadíssimos com a experiência.

"[Muitas coisas incompreensíveis em japonês] Vai, Corinthians! [Mais coisas incompreensíveis em japonês]", diz o sorridente Soto Ayukawa, de 13 anos, lateral do time, quando o repórter quer saber o que ele achou do jogo.

De acordo com Eduardo Nakasawa, o nipo-brasileiro que trouxe os meninos do Criaju para o intercâmbio, o que Soto disse era que a torcida brasileira é muito diferente e muito mais animada que os japoneses. E ele adorou isso. O garoto já conhecia o Corinthians porque tinha visto pela TV o time ser campeão do mundo em Tóquio.

Divulgação/Criaju
Japoneses e brasileiros confraternizam na Arena Corinthians em jogo contra a Ponte Preta

"Fala, Zizao!", gritam eventualmente alguns corintianos relembrando o carismático ex-jogador da equipe que, obviamente, é chinês e não japonês. "Aqui é Corinthians, Coreia!", gritam outros, tentando se entrosar. Os meninos respondem com simpatia, alguns deles gritando de volta "Vai, Corinthians!".

Eles adoraram gritar "Vai, Corinthians!"

Uma hora, no meio do jogo [no qual o Corinthians venceu a Ponte Preta por 2 a 1], torcedores organizados puxaram o poropopó, tradicional coreografia na qual, ombro a ombro, eles ficam pulando descontroladamente na arquibancada. Os japonesinhos entraram na onda e embarcaram no poropopó. Um deles chegou a ser levantado ao alto por um torcedor organizado.

A comunicação entre brasileiros e japoneses era muito difícil porque a maioria das crianças não falava inglês muito bem e nenhum adulto falava qualquer coisa de japonês, mas de alguma forma eles se entenderam no idioma internacional do futebol.

Eles vão ficar mais alguns dias no país, participando de treinos e jogos.

Recentemente, perderam de goleada para o sub-15 do Juventus da Mooca, mas já conseguiram vitórias expressivas contra escolinhas franqueadas pelo Corinthians.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos