Lionel Messi é citado em investigação mundial sobre offshores

Da ANSA

Em Londres

  • PAU BARRENA/AFP

O WikiLeaks e o Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ) relevaram neste domingo (3) milhares de documentos sobre o funcionamento de empresas em paraísos fiscais e quantias enormes de dinheiro pertencentes a políticos, empresários, jogadores de futebol e famosos. Messi é citado. 

O caso já ganhou a imprensa mundial e foi batizado de "Panama Papers". De acordo com a investigação, o presidente russo, Vladimir Putin, familiares do líder chinês Xi Jining, o ucraniano Petro Poroshenko, a família real saudita e autoridades da Islândia e do Paquistão estariam entre os beneficiados por offshores criadas por 214 mil empresas. O nome do jogador argentino Lionel Messi e do ator Jackie Chan também aparecem no caso. Entre os italianos, destaca-se o empresário Luca di Montezemolo.  

De acordo com o jornal espanhol Sport, Messi vai se pronunciar sobre o caso nesta segunda (4) pela manhã. O jogador, segundo a publicação, apresentará denúncia contra o Consórcio Internacional de Jornalismo Investigativo (ICIJ) e o jornal alemão Süddeutsche Zeitung. 

Já no Brasil, os documentos relevam 107 novas offshores ligadas a pessoas citadas na Operação Lava Jato. O UOL participou do trabalho jornalístico. 

O caso foi investigado por um ano por cerca de 400 jornalistas em 80 países. Os mais de 11,5 milhões de documentos provêm do sistema da Mossack Fonseca, a quarta maior sociedade offshore do mundo, com sede no Panamá. Os arquivos foram entregues por uma fonte ao jornal alemão "Süddeutsche Zeitung" e são considerados a maior fuga de informação dos últimos tempos. A ICIJ, em parceria com veículos de mídia do mundo todo, promete lançar as informações gradualmente nos próximos dias. (ANSA)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos