Brasileiro brilha mais que Douglas Costa no Alemão e quer chance na seleção

Rodrigo Garcia

Do UOL, em São Paulo

A atual temporada do Campeonato Alemão está praticamente chegando ao fim. Com 72 pontos e um elenco recheado de craques, o Bayern de Munique vai encaminhando mais uma conquista de título e encerrando qualquer possibilidade de uma surpresa no torneio.

Mas, se não houve surpresa na melhor equipe, o mesmo não pode ser dito entre os atletas brasileiros que disputam o Alemão. Enquanto todos esperavam que Douglas Costa, meia-atacante da seleção brasileira que foi contratado para substituir Ribery, fosse o destaque, outro brasileiro roubou a cena: Raffael, do Borussia Monchengladbach.

Apesar de ser um dos ídolos do clube alemão e estar prestes a entrar na história da agremiação por ser o jogador mais efetivo em uma única temporada, Raffael não é conhecido do grande público brasileiro. Revelado pelo Juventus-SP, o atleta deixou o Brasil ainda jovem rumo ao futebol suíço, onde começou sua carreira.

Lá, Raffael obteve tanto destaque que passou a ser chamado de "Ronaldinho Gaúcho suíço", por seus dribles e gols, e despertou o interesse do Hertha Berlim, seu primeiro clube no futebol alemão. Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o jogador admitiu ter sentido dificuldade de adaptação ao país germânico.

"Na Alemanha é um campeonato com 18 equipes, bem disputado e com grandes equipes. No começo tem o choque do estádio cheio, jogadores de seleções. Mas depois me adaptei bem. Teve aquela expectativa que vem antes dos grandes jogos, na próxima semana é o Bayern, depois o Dortmund. Você se prepara bem, pensa que vai jogar contra os caras. Você quer que a hora do jogo chegue logo pra que tudo isso passe", revelou Raffael.

Tentativa frustrada de jogar com Shevchenko abriu portas para Raffael

Genya Savilov/EuroFootball/Getty Images
Raffael foi contratado para jogar ao lado de Shevchenko

Após cinco anos no Hertha Berlim, com 163 jogos disputados e 39 gols, Raffael foi contratado pelo Dínamo de Kiev para atuar ao lado de Andriy Shevchenko, que atuava pelo clube ucraniano após anos brilhando no futebol europeu.

A expectativa era que o brasileiro substituísse o maior ídolo da história do país, que já traçava planos para aposentadoria, mas problemas de adaptação e com o técnico acabaram resultando em uma apagada passagem pelo clube, com apenas 13 jogos e um gol. Por conta disso, o clube resolveu empresta-lo novamente ao Schalke, mas, por estar fora de sua condição ideal, Raffael não conseguiu desempenhar um bom futebol.

Mesmo assim, o Borussia Monchengladbach resolveu apostar na contratação do brasileiro e, definitivamente, a ousadia trouxe o resultado esperado: em 112 jogos pelo clube, Raffael já marcou 44 gols. Na atual temporada, o brasileiro tem 13 gols e 13 assistências, números que o colocam como quarto jogador mais efetivo do campeonato. À frente do brasileiro estão apenas Aubameyang, Lewandowski e Thomas Muller.

"Está sendo mais especial porque estou sendo bem constante, tanto nos gols como nas assistências. Vou fazer de tudo para conseguir ajudar minha equipe agora nessa fase final do campeonato a se manter ali entre as primeiras colocações", revelou Raffael, cujo clube ocupa a quarta colocação, que dá direito a disputar a fase de qualificação da Liga dos Campeões.

Oportunidade na seleção brasileira

Patrik Stollarz/AFP Photo
Raffael tem se destacado com gols e assistências no Alemão

Com números melhores que Douglas Costa, que concedeu 16 assistências, mas marcou apenas dois gols no Alemão, Raffael ainda espera por uma chance na equipe comandada pelo técnico Dunga. Assim como a maioria dos jogadores, o meia-atacante destacou que seria um sonho ter a oportunidade de defender a camisa amarelinha.

"Estou fazendo meu trabalho, estou ajudando a minha equipe, e se um dia tiver que acontecer, vai acontecer. Não sou aquele jogador que olha convocação, espera alguma coisa. Se tiver que acontecer, vai acontecer. Eu acho que sou esse tipo de pessoa, eu espero que tudo aconteça naturalmente. Eu sei da dificuldade que a gente encontra no meio do futebol. Eu sou esse tipo de pessoa que espera, porque se tiver que acontecer, vai acontecer", explicou o jogador.

E, diante do fase vivida pela seleção brasileira, esta poderia ser a melhor oportunidade para o jogador ser testado. Com Renato Augusto em baixa após sua última exibição, Oscar preterido pelo técnico e apenas Lucas Lima como opção, Raffael diz que poderia se encaixar perfeitamente nesta função.

"Eu me sentiria confortável atrás do atacante. Eu prefiro jogar vindo de trás. A minha função favorita é como meia-atacante mais de criação, vindo de trás", concluiu o jogador. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos