Com Del Nero na mesa, Dunga recebe ultimato e expõe tensão na seleção

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • AP Photo/Jorge Saenz

    Dunga recebeu ultimato na CBF

    Dunga recebeu ultimato na CBF

O técnico Dunga está cada vez mais pressionado no comandado da seleção brasileira. Sem resultados convincentes nas Eliminatórias e com focos de insatisfação interna no grupo, o treinador se reuniu com a cúpula da CBF nesta terça-feira e recebeu cobranças pelo trabalho, como revelou o Blog do PVC na última segunda. Até mesmo o presidente licenciado, Marco Polo Del Nero, esteve presente ao encontro, aumentando a tensão do momento.

Ao lado do coordenador de seleções, Gilmar Rinaldi, Dunga escutou do alto escalão da Confederação que os resultados precisam melhorar. Uma demissão, por enquanto, está descartada. Mas o comando da seleção já sabe que um fracasso na disputa da Copa América Centenário – em junho – não será perdoado e comprometerá o projeto que prevê Dunga e Gilmar à frente do time que disputará a sonhada medalha de ouro olímpica nos Jogos Rio 2016 – em agosto.

Sempre procurando mostrar um ar tranquilo diante das pressões recentes, Dunga se assustou e deixou escapar uma tensão no encontro com os chefes da CBF. Antes da reunião desta terça, tanto ele quanto Gilmar enxergavam que a ameaça ocorria apenas fora da Confederação. Nesta manhã, o cenário mudou.

A tensão, aliás, não era percebida apenas em Dunga. Outros funcionários da CBF deixavam no ar a preocupação no dia com ar decisivo. Funcionários do departamento de comunicação se esquivavam de comentar o assunto e chegaram a negar a presença de Marco Polo Del Nero.

Após o encontro com Del Nero e outros membros da diretoria, como o presidente exercício, Coronel Nunes, e o diretor executivo da CBF, Rogério Caboclo, Dunga e Gilmar deixaram o prédio da entidade rapidamente em um carro preto, escapando de contato com a imprensa presente.

No final da tarde, Rinaldi retornou ao prédio e fez um pronunciamento de quatro minutos - informando ainda que não responderia questionamentos dos mais de 50 representantes da imprensa presente.

"Desci apenas porque o Vinicius [assessor de imprensa] falou que muitos de vocês estavam aqui. Foi uma reunião muito boa, muito tranquila. Uma coisa de rotina mesmo. Sentei com o presidente para apresentar relatórios dos últimos jogos e apresentar as programações para Copa América e Olimpíadas", disse o coordenador de seleções, ignorando a pressão no cargo e ameaça de nem sequer chegar aos Jogos Rio 2016 no cargo.

"O trabalho está muito bom. Estamos ansiosos para definir os últimos detalhes das programações futuras", finalizou Gilmar Rinaldi.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos