Polícia suíça vai à Uefa para coletar evidências sobre direitos de TV

Do UOL, em São Paulo

  • Clive Rose/Getty Images

A Uefa recebeu nesta quarta-feira a visita da Polícia Federal da Suíça para coletar evidência sobre vendas de direitos de TV da Liga dos Campeões, após ser citada no "Panama Papers". A ação policial realizada na cidade de Nyon foi confirmada pela entidade europeia em nota oficial.

"A Uefa confirma que hoje recebeu a visita de agentes da Polícia Federal da Suíça agindo com um mandado e pediram os contratos entre a Uefa e a Cross Trading/Teleamazonas. Naturalmente, a Uefa providenciou para a Polícia Federal todos os documentos relevantes que estão em nossa posse e irá colaborar integralmente", disse a entidade em nota.

A investigação da polícia acontece um dia depois de Gianni Infantino, presidente da Fifa e ex-presidente da Uefa, ter o seu nome citado na investigação jornalística"Panama Papers" sobre lavagem de dinheiro com uso de offshores. Documentos foram vazados do escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca, cujo um dos clientes é a empresa argentina Cross Trading.

O questionamento da polícia suíça se refere à polêmica venda dos direitos de transmissão da Liga dos Campeões entre 2006 e 2009. De acordo com os documentos, os direitos de TV do torneio para o Equador foram vendidos para a Cross Trading por 98 mil euros e repassados posteriormente para a Teleamazonas, emissora do país, por 274 mil euros. Um dos dirigentes que assinou o contrato foi Infantino, então secretário da Uefa.

Pouco mais cedo, a Uefa havia emitido outro comunicado saindo em defesa de Infantino.

"Nunca houve suspeitas de que alguma irregularidade tenha acontecido. As explicações foram dadas aos veículos de imprensa de uma forma clara, razoável e perfeitamente transparente", falou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos