Hora de abrir a mente. Guilherme e Alan contam como mudaram no Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Friedemann Vogel/Getty Images

    Guilherme mostra prazer em executar nova função na carreira aos 27 anos

    Guilherme mostra prazer em executar nova função na carreira aos 27 anos

Nem todos os jogadores estão abertos a novas experiências nessa altura da carreira. Mas, para Guilherme, 27 anos, e Alan Mineiro, 28 anos, a oportunidade de chegar ao Corinthians neste ano serviu também para um redescobrimento. A comissão técnica corintiana faz ambos executarem, dentro do sistema padrão de jogo 4-1-4-1, papéis novos em campo.

Acostumados à função de meia mais ofensivo, eventualmente atacantes, ambos agora trabalham mais próximos dos volantes, precisar estar quase sempre atrás da linha da bola para marcar e, com a posse de bola, chegar à área rival. Guilherme e Alan se mostram abertos e dispostos.  

"Eu nunca tive orgulho com essas coisas. Poderia muito bem não fazer (a função) ou questionar, e assumir as consequências disso. Mas quero vencer", admitiu Guilherme nesta terça. 

"Estar aqui é um sonho, trabalhar com o Tite e com esse grupo de jogadores vencedores, assim como eu. Muitas vezes ouço que eu não deveria ouvir tanto o treinador, fazer o que quero. Ouço isso na rua, em qualquer lugar. Mas o mais importante é seguir fielmente o pedido feito a mim, e a partir daí fazer o que quero também, o que posso das características", explicou.

Na avaliação de Alan Mineiro, o jogador moderno deve estar aberto a qualquer mudança. "Futebol mundial não tem espaço para jogador parado. Todos precisam marcar, correr, e há algum tempo venho observando e aprimorando isso. Aqui não era diferente e pela característica vou procurando aprender, buscando informações. Nunca fui marcador nato, mas vou ajudar o quanto precisar", analisou o meia ex-Bragantino. 

Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Alan Mineiro fez gol pelo Corinthians contra o Novorizontino

Guilherme, apesar do risco de perder a posição para Rodriguinho nos próximos jogos, demonstra satisfação no Corinthians. Entre outros motivos, por completar três meses de clube sem sofrer nenhuma lesão, marca dos anos recentes pelo Atlético-MG. "Nem sei mais o que significa essa palavra machucar. Estou muito bem, vou continuar, faço trabalhos diários e sou muito profissional em todos aspectos. Vamos seguir firmes e fortes, estou bem o ano inteiro". 

Para Alan Mineiro e ele, particularmente, a questão física era um ponto fundamental para quem precisa suportar um ritmo mais intenso previsto pela nova função tática. "Todos estão vendo o que estou jogando, inclusive a parte física que já tenho. A dinâmica, o carrinho, uma coisa que não podem falar é que não estou fazendo. Estou correndo, estou me dedicando", lembrou Guilherme. 

"Eu me sinto muito bem fisicamente, e a questão do peso já passou", afirma Alan Mineiro, que sofreu com quilos a mais na chegada ao clube em janeiro. "Tanto que o Tite disse que só me colocaria bem fisicamente, e estou indo pros jogos há bastante tempo", frisou o jogador depois de marcar seu primeiro gol com a camisa corintiana, no domingo passado, diante do Novorizontino. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos