Hudson chama Ceni para preleção do SP e elogia Bauza: "Não me limita"

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

Um dos destaques do São Paulo na vitória sobre o River Plate, por 2 a 1, na quarta-feira, no Morumbi, o volante Hudson concedeu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira sobre a vitória que aumenta as chances do clube na Copa Libertadores. Reserva em 2015 e titular desde a chegada do técnico Edgardo Bauza, Hudson rasgou elogios ao argentino.

"Ano passado confesso que foi um ano que muitas vezes as coisas não deram certo. Isso faz a confiança ficar abalada. Jogador sem confiança é outro, já o jogador com confiança faz coisa que outros não consegue. Acredito que o respaldo que o Bauza me deu, as orientações, ele é um cara que não me limita dentro de campo, não me deixa parado dentro da área. Se eu tiver que ir para a frente, ir para a linha de fundo, ele deixa. Ele deixa tudo desde que a recomposição defensiva não se abale. Isso ajuda muito", falou.

Hudson revelou que, na véspera da partida, o goleiro aposentado Rogério Ceni foi aos vestiários da equipe, conversou com o elenco e acabou até convocado para fazer preleções.

"Ele foi no vestiário antes do jogo quando a gente treinou no Morumbi. A gente falou para ele que ele poderia dar uma palavrinha dentro do jogo", falou o volante. Rogério Ceni, porém, não visitou os vestiários na quarta-feira, dia da partida contra o River. "Eu admiro muito o Rogério, ele é muito inteligente nas entrevistas. É muito sábio, ele sabe colocar a posição do jogador e também para o jornalista, chega a um entendimento entre as duas partes", disse Hudson.

O volante também afirmou que Bauza elogiou a postura do time nesta quinta-feira. "Bauza falou que mais do que a vitória, o importante é a postura que a equipe teve durante 90 minutos. Ele falou algo muito importante, que foi que toda a equipe estava com pensamento de vencer. Isso é muito importante, quando todo mundo está assim a coisa tende a andar pra frente", relatou.

O volante afirma que não precisará ser poupado no domingo, contra o Audax, para chegar nas melhores condições em La Paz, para o jogo decisivo contra o The Strongest. "Ele não passou nada ainda, acredito que ele está esperando uma resposta da recuperação dos atletas. A gente vai jogar na quinta-feira em La Paz, querendo ou não são quatro dias, então é um período bom de descanso. É um momento decisivo, quem estiver à disposição tem que jogar. Não é um jogo qualquer, a gente quer ser campeão paulista também". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos