Keirrison diz que futebol ficou insignificante e promete surpreender

Marcello De Vico e Vanderlei Lima

Do UOL, em Santos e São Paulo

Keirrison viveu em 2015 o pior ano da carreira. Não apenas profissionalmente, mas também na vida pessoal. Passou a maior parte do ano sem entrar em campo, ficou sete meses sem receber no Coritiba e, no fim do ano, sofreu um baque ao perder o filho de apenas dois anos. Meses depois, o atacante vive uma nova fase. Hoje atuando pelo Londrina, voltou a marcar após 16 meses – na quarta-feira retrasada, pela Copa do Brasil – e agora promete surpreender a todos.

A nova fase, porém, chega após muito sofrimento e, ao mesmo tempo, aprendizado. Em 2015, após o sétimo mês sem receber, Keirrison se viu obrigado a entrar na Justiça contra o próprio clube pelo qual foi revelado, conforme contou em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

"Eu realmente tinha prova, tinha documentos que eles estavam me devendo. Chegou dezembro de 2015 e a juíza me liberou, era um débito muito grande. Então, são situações que o futebol nos deixa triste e o atleta se prejudica porque ele tem que trabalhar, e são tantas coisas que entram extra campo que acabam prejudicando o seu rendimento", disse.

Quase que simultaneamente aos problemas financeiros referentes ao trabalho, Keirrison sofreu o maior baque da vida na metade de novembro: perdeu o filho de apenas dois anos que tinha com Hevelin Buss – jogadora de futebol e irmã do zagueiro Henrique, hoje no Fluminense – vítima de uma parada cardíaca e respiratória. Foi quando, em certos momentos, o futebol passou a ser algo insignificante para Keirrison, que precisou de tempo para se recuperar.

"Juntou tudo, perdi meu filho... Eu realmente não pensava em voltar a jogar futebol, na verdade eu não estava com cabeça, porque o futebol ficou insignificante... Sinceramente, ficou mesmo algo insignificante, e a família falando: 'Keirrison, você tem que continuar'. Deus me fortaleceu e agora fico feliz a cada detalhe. Entro no jogo e estou feliz por estar com saúde e jogando", acrescentou Keirrison, que acabou se renovando com a mudança de ares.

"Você vê o futebol sujo e fica um pouco pensativo, mas criou uma força dentro de mim... Creio que meu filho também gostaria que eu continuasse. Eu e minha esposa decidimos vir para Londrina para até sair um pouco de Curitiba, por tudo o que aconteceu. A gente queria sair um pouco de lá para respirar um pouco e estamos felizes aqui. Fiz contrato com o Londrina até novembro deste ano e tem Série B", afirmou o atacante.

Na última quarta-feira, na goleada de 6 a 0 sobre o Parauapebas-PA, no VGD, pela Copa do Brasil, Keirrison voltou a balançar as redes em jogos oficiais depois de 16 meses. O último gol havia acontecido no dia 7 de dezembro de 2014, na vitória de 3 a 2 sobre o Bahia, no Couto Pereira, pela última rodada do Brasileirão (vídeo acima). O jogo marcou a despedida do meia Alex com a camisa alviverde, e o gol de Keirrison decretou a virada do Coritiba.

"Hoje eu sou um outro Keirrison, outra mente, parte física também, então eu realmente creio que algo novo será feito. Já está sendo feito aqui no Londrina, então o que vai acontecer comigo é uma coisa que vai surpreender não só a mim, como a todos", acrescentou.

"Eu não sei o tamanho que será disso... Eu parei um pouco de olhar para trás e comecei a olhar mais o presente, aquilo que ainda posso construir. Então eu me vejo maduro, preparado e com uma idade muito boa pra fazer alguma coisa diferente. Não vou dizer maior ou menor, mas algo diferente que pode surpreender não só a mim, mas a todos, completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos