Ricardo Oliveira "manobra" com R. Augusto para ir à China no meio do ano

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Diego Padgurschi /Folhapress

O centroavante Ricardo Oliveira está concentrado para tentar ajudar o Santos diante do São Bento, em confronto único pelas quartas de final, que acontece neste sábado, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, mas não é só com os companheiros da própria equipe e dentro de campo que tem trabalhado.

O UOL Esporte apurou que o camisa 9 santista ouviu do meio-campista Renato Augusto que o Beijing Guoan, time do ex-corintiano e que tentou contratá-lo em janeiro, lamentou bastante o fracasso das negociações, principalmente após a derrota sem gols na estreia do campeonato local.

O companheiro confessou a informação ao antigo rival durante o período em que estiveram juntos com a seleção brasileira, para os jogos contra Uruguai e Paraguai, pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Renato ofereceu ajuda dizendo que tentaria manter viva a negociação com os chineses uma vez que Oliveira segue sonhando, agora com ajuda do ex-corintiano, por um último grande contrato na carreira.

Ricardo Oliveira tem 36 anos e ficou entusiasmado com a possibilidade de receber R$ 2 milhões mensais de salário no futebol chinês. Além disso, sempre ressaltou que deixaria o clube com considerável compensação financeira já que chegou em janeiro a custo zero e um dos salários mais baixos do atual elenco, só reajustado em maio.

A janela do meio do ano na China é considerada para os investidores como a "janela fraca" desse novo mercado expoente no futebol, mas existe uma esperança de que o mesmo clube, o Beijing Guoan, faça uma nova oferta pelo santista.

"Estamos falando de possibilidades, então não vou bater nisso: 'se, pode, talvez'. Já passou, vamos viver hoje. Vamos deixar as coisas acontecerem da maneira que acontecerem. Hoje é jogar pelo Santos e buscar os objetivos que foram traçados. O meu estafe pode pensar nisso (transferência para a China em junho). O trabalho dos agentes é assim, vão pensar em trazer algo para o atleta e para o clube, eu não. Se eu fizer isso perco meu foco aqui", afirmou à época.

O principal líder do elenco santista nunca escondeu ter ficado chateado pela não saída, mas recebeu como estímulo novas convocações para a seleção brasileira com o técnico Dunga.

No empate por 2 a 2 diante do Paraguai, em Assunção, no último dia 26, ganhou a vaga deixada por Neymar, suspenso, e ainda marcou o gol que impulsionou a reação brasileira, que perdia por 2 a 0.

O Santos, por sua vez, tentou até o fim da janela aumentar os valores dos chineses e alegou, no fim, que "apesar dos esforços da diretoria e do atleta, para chegarem a uma definição positiva para ambas as partes, não houve tempo hábil para concretizar esta negociação".

O camisa 9 marcou duas vezes no penúltimo jogo, uma delas aplicando um chapéu no goleiro do Capivariano, completando para o gol de cabeça, mas viu sua média cair nesta temporada: 6 gols, em 11 jogos, o distanciando da briga por uma nova artilharia. Roger, do Red Bull Brasil, é o líder no quesito, com 11.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos