Falhas nunca mais? Henrique supera críticas e explica "reviravolta" no Flu

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Montagem/UOL

Henrique chegou ao Fluminense como a solução para os problemas sofridos pela equipe ao longo de 2016. Porém, bastou algumas semanas da atual temporada para a torcida ficar com medo do que teria pela frente, já que o defensor não teve um início nada animador no Tricolor. Em seus primeiros jogos, apresentou assustadora média de quase uma falha por partida. Com a chegada de Levir Culpi, ele passou a fazer dupla com Gum e melhorou o rendimento. É hoje uma das referências da equipe.

Contratado junto ao Napoli por 2 milhões de euros (R$ 8,8 milhões), Henrique se juntou aos jogadores do Fluminense já nos Estados Unidos, local da pré-temporada. Foi recebido por Fred no luxuoso centro de treinamento utilizado pelo Tricolor. Com poucos treinamentos, passou a treinar entre os titulares da defesa, muito contestada em 2015.

Curiosamente, Henrique foi contratado para ser o substituto de Gum, criticado na temporada passada e que tinha tudo para deixar as Laranjeiras. O defensor, porém, decidiu ficar e perdeu espaço. Parou no banco de reservas enquanto via o novo contratado fazer dupla com Marlon e Renato Chaves.

Nada dava certo sob o comando do técnico Eduardo Baptista. Somente na primeira fase do Campeonato Carioca, o Fluminense foi vazado em 11 oportunidades. Até que houve uma troca de treinadores e tudo mudou com a chegada de Levir Culpi. Sob nova direção, o Tricolor arrumou o setor defensivo e se tornou rapidamente competitivo.

E foi justamente com o contestado Gum ao lado, que Henrique se firmou e tornou-se uma das referências do atual elenco. Sobrou para o jovem Marlon e para Renato Chaves, que está insatisfeito com a falta de oportunidades e quer voltar para a Ponte Preta.

Para Henrique, a melhora no desempenho é visível e tem explicação. Ele, porém, diz que pode ir além do que tem apresentado atualmente. "O posicionamento (foi o segredo da minha melhora). Ficar muito tempo parado complica. Dentro de campo as coisas vão se acrescentando. Estamos trabalhando sempre para melhorar. Estar 100% sempre é difícil. O time está em uma crescente, mas ainda temos muito a melhorar", afirmou.

Além de Henrique, o Fluminense conta com Gum, Marlon, Renato Chaves e Nogueira para o setor. Caso Chaves seja negociado, o Tricolor deverá voltar ao mercado para repor a perda, já que Elivélton foi emprestado ao Fortaleza.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos