Presidente da Fifa e Dunga serão convidados a depor na nova CPI do Futebol

Do UOL, em São Paulo

  • Clive Rose/Getty Images

    Além de Dunga e Infantino (foto), José Maria Marin e Neymar pai serão convidados a depor

    Além de Dunga e Infantino (foto), José Maria Marin e Neymar pai serão convidados a depor

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o técnico da seleção brasileira, Dunga, serão convidados a depor na nova CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Futebol, que tramita na Câmara dos Deputados. A informação foi publicada em primeira mão pelo jornalista Jamil Chade, no jornal "O Estado de S. Paulo", no começo da noite desta quarta-feira (27).

Um dos requerimentos aprovados durante sessão na última terça (26) aponta que o objetivo do depoimento de Dunga é "colaborar com os esforços da CPI para esclarecer aspectos relacionados a contratos de marketing, direitos de mídia, patrocínio e eventos envolvendo a CBF".

De acordo com a reportagem, a nova CPI do Futebol também planeja enviar missão especial até Nova Iorque para colher o depoimento do ex-presidente da CBF, José Maria Marin, que segue em prisão domiciliar após pagar fiança à espera de julgamento.

Além disso, segundo a publicação, a comitiva parlamentar ainda terá a missão de interrogar o empresário José Hawilla - centro das investigações do FBI que levaram ao indiciamento de 41 pessoas pela Procuradoria-Geral dos EUA. Entre eles, Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, e Marco Polo Del Nero, atual mandatário da entidade.

Para colher o depoimento do empresário e do cartola, no entanto, a comitiva parlamentar brasileira precisará de autorização da Justiça dos Estados Unidos para entrar em território americano.

Outro nome na lista de convidados da nova CPI do Futebol é o empresário Neymar da Silva Santos, pai de Neymar. Ele será interpelado pelos deputados sobre os contratos de marketing e publicidade envolvendo o craque e a seleção brasileira. Sua convocação, porém, gerou discórdia e discussão durante a sessão, conforme adiantou o Blog do Brito.

Criada com o objetivo de averiguar a "máfia do futebol", a CPI da Câmara dos Deputados fechou nesta semana seu cronograma de funcionamento. Os parlamentares terão o prazo de 120 dias para colher os depoimentos e produzir um relatório.

Por fim, cabe lembrar que a CPI da Máfia do Futebol, montada na Câmara dos Deputados, não é a mesma CPI do Futebol que tramita no Senado Federal, sob o comando do senador Romário (PSB-RJ).

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos