Com Blatter de testemunha, Platini luta contra suspensão de 6 anos na CAS

Do UOL, em São Paulo

  • Fabrice Coffrini/AFP

    Michel Platini chegou sorridente ao tribunal, mas não deu declarações

    Michel Platini chegou sorridente ao tribunal, mas não deu declarações

O presidente suspenso da Uefa, Michel Platini, que foi banido do futebol por seis anos por denúncias de corrupção, chegou na manhã desta sexta-feira (29) à Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça, para o início do julgamento de seu recurso contra a punição imposta pelo Comitê de Ética da Fifa.

Platini terá como principal testemunha o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter. O ex-jogador francês é suspeito de ter recebido de Blatter dinheiro de propina - 1,8 milhão de euros - para retirar sua candidatura à Fifa em 2011, pouco antes da reeleição do suíço.

"Eu aceitei esta tarefa, estou em boa forma e feliz por ser uma testemunha neste caso", disse Blatter ao chegar ao tribunal. Já Platini não deu declarações à imprensa.

Tanto Platini quanto Blatter negam as acusações e afirmam que tinham um acordo verbal pelo dinheiro. O pagamento teria sido por serviços prestados pelo francês entre 1999 e 2002, quando ele trabalhou como consultor para o presidente da Fifa.

Os dois dirigentes haviam sido banidos do futebol no fim do ano passado, mas recursos posteriores reduziram suas suspensões para oito anos e, posteriormente, seis. Agora, eles lutam pela inocência na instância máxima do futebol.

Além de Blatter, outras testemunhas do caso de Platini são Ángel María Villar, sucessor do francês na presidência da Uefa, e Jacques Lambert, diretor da organização da Eurocopa de 2016. A expectativa é que um veredito da CAS seja divulgado até a próxima segunda-feira, 2 de maio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos