Calote corintiano fez time gaúcho cancelar projeto e demitir funcionários

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Arquivo pessoal

    Emerson resolveu enxugar projeto em Pelotas após sofrer para receber por Marciel

    Emerson resolveu enxugar projeto em Pelotas após sofrer para receber por Marciel

O Corinthians colocou todos os pagamentos em dia, mas a decisão de Emerson, ex-volante da seleção brasileira, já estava tomada. 

Proprietário do Fragata-RS, clube criado para formar jogadores em Pelotas, ele resolveu enxugar o projeto de forma drástica. Tudo porque demorou a receber pela venda de direitos econômicos do volante Marciel ao Corinthians. O jogador foi cedido ao Cruzeiro por empréstimo em janeiro.

A mudança de rumo no Fragata provocou uma série de demissões. Três observadores, um roupeiro, uma cozinheira, dois coordenadores, dois treinadores e um supervisor deixaram o clube. Emerson também determinou o corte de avaliações técnicas, viagens e extinguiu o alojamento de jogadores.

Como consequência por deixar competições de base do Rio Grande do Sul, o Fragata também negociou diversas promessas para clubes como Ceará, Cruzeiro e Grêmio, entre outros. Depois de considerar fechar as portas, o ex-volante transformou a equipe em escolinha de jovens jogadores.

Pessoas próximas a Emerson asseguram que foi o desgaste para que recebesse pela venda de Marciel ao Corinthians que fez com que ele tomasse a decisão de cortar custos. Além disso, uma parceria de intercâmbio de jogadores havia sido firmada com a Roma-ITA, mas não terminou da maneira que ele desejava. 

No ano passado, o ex-jogador indicou esse caminho em entrevista ao UOL Esporte. "Eu fico constrangido em passar por isso. Não é o que o Fragata queria passar. Esse é um dos motivos que me desanimam a seguir e me fazem querer rever tudo. É um clube de formação e existe uma série de outros meninos que vão para a escola, que comem todos os dias, que se alojam, que têm plano de saúde e não têm essa alegria. Acaba tendo essas surpresas. Será que vale a pena trabalhar tanto? Eu não quero mais passar por isso. Não ligo, não vou ficar falando porque sou um em um milhão. Você ainda acaba sendo o ruim da história porque está cobrando", disse em setembro.

A reportagem tentou contato com Emerson nos últimos dias, mas ele preferiu não conceder entrevistas. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos