Pressão aumenta e Grêmio terá reunião sobre demissões no futebol

Do UOL, em Porto Alegre

  • Marinho Saldanha/UOL

    César Pacheco (esq) e Rui Costa (dir) são alvos de contestação interna e podem sair

    César Pacheco (esq) e Rui Costa (dir) são alvos de contestação interna e podem sair

A eliminação da Copa Libertadores, com placar agregado de 4 a 0 diante do Rosario Central, aumentou a pressão interna no Grêmio. A principal exigência interna é por mudança no departamento de futebol, com a demissão do executivo Rui Costa. E após o jogo na Argentina, o presidente Romildo Bolzan Jr. revelou reunião para tratar do futuro do time.

"Sinceramente, depois do jogo seria temerário comentar algo sobre isso. De cabeça quente, com sangue fervendo fazer discurso é absolutamente imprudente. Vamos fazer as avaliações e se tivermos que tomar decisões, vamos tomar. Vai passar por um debate no conselho de administração", disse Bolzan.

O conselho de administração está praticamente todo em Rosário, ao lado da delegação. Somente Marcos Hermann, integrante do órgão, permaneceu no Brasil. O encontro não tem data para ocorrer, mas tratará da reforma no departamento de futebol.

Além de Rui Costa, no cargo desde 2013, as correntes políticas do Grêmio também pedem a saída de César Pacheco, vice de futebol.

A situação de Roger Machado, contudo, é diferente. Mesmo com três eliminações na temporada e desempenho abaixo do esperado, o treinador ainda tem bom conceito. E deverá ser mantido para o início do Campeonato Brasileiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos