Novo capitão do SP pede fim das reclamações e quer bater recorde carioca

Guilherme Palenzuela

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Edgard Garrido

    Hudson faz boa temporada com a camisa do São Paulo

    Hudson faz boa temporada com a camisa do São Paulo

O técnico Edgardo Bauza mudou, no último jogo, o dono da braçadeira de capitão do São Paulo. Passou do goleiro Denis para o volante Hudson, que vive grande momento em 2016. Nesta segunda-feira, o novo líder são-paulino concedeu entrevista coletiva no CT da Barra Funda e pediu para que o elenco pare de reclamar com a arbitragem para evitar mais suspensões. Hudson também disse que a torcida precisa comparecer ao Morumbi na quarta-feira, contra o Atlético-MG, para um novo recorde de público. 

"É importante saber a postura do árbitro. É importante que a gente não fique reclamando, principalmente reclamações acintosas. Tem jeitos de se reclamar e precisamos prestar atenção. Perder um jogador nesse campeonato é inadmissível. Hoje temos vários líderes, temos Denis, Maicon, Ganso, Michel. É uma equipe que se divide em liderança, a faixa de capitão carrego como um símbolo, com muita felicidade", falou Hudson, que ficou sem jeito ao tentar explicar por que foi o escolhido.  
 
"Você vai ter que perguntar pro Bauza. Talvez seja porque lido bem com todos, talvez porque tenha dois anos de São Paulo, talvez pela própria posição, por estar no meio do campo", disse. 
 
Hudson pediu para que a torcida vá ao Morumbi para recuperar o recorde de público do Brasil em 2016. O São Paulo era o detentor da marca até o último fim de semana, com os 53 mil torcedores nas oitavas de final contra o Toluca, mas foi derrotado pela final do Carioca entre Vasco e Botafogo, que reuniu 60 mil pessoas no Maracanã.
 
"Fiquei sabendo que bateram nosso recorde, mas a torcida do São Paulo não vai deixar assim não. Vai ser no Morumbi o recorde de público, na quarta-feira", falou. "Você já passou naquele corredor que a gente passa para entrar em campo? O adversário quando passa ali sente a pressão da torcida. O Morumbi é muito grande, apesar de ficar distante, 60 mil pessoas representam muito para o São Paulo", completou.
 
Hudson disse que o elenco se motiva também para acabar com o tabu de eliminações na Libertadores para clubes brasileiros. Desde 2005, quando foi campeão, o clube acumula sete eliminações em sete participações no torneio. 
 
"É uma motivação a mais acabar com essa sina, com esse tabu, mas antes o São Paulo eliminou várias vezes outros brasileiros. É uma motivação a mais pra que se acabe com isso. Contra o Atlético a gente vai ter mais uma chance", falou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos