Fifa anuncia mudanças no processo de escolha de sede da Copa de 2026

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/Cyril Zingaro

    Gianni Infantino anunciou mudanças no processo de escolha das sedes da Copa do Mundo

    Gianni Infantino anunciou mudanças no processo de escolha das sedes da Copa do Mundo

A Fifa anunciou nesta terça-feira (10) uma importante mudança na forma em que as sedes para a Copa do Mundo são escolhidas. O anúncio foi feito pelo presidente da entidade, Gianni Infantino, durante o 66º Congresso da Fifa, que acontece na Cidade do México. As mudanças se devem às críticas e às denúncias de corrupção na escolha dos Mundiais de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar).

O novo processo, que passará a valer para a Copa do Mundo de 2026, será realizado em quatro etapas: uma nova fase estratégia e de consultas (maio de 2016 a maio de 2017), fases avançadas para preparação de propostas (junho de 2017 a dezembro de 2018), avaliação da proposta (janeiro de 2019 a fevereiro de 2020), culminando em uma decisão em maio de 2020. Antes das mudanças anunciadas pela entidade, Canadá, México e Colômbia já haviam manifestado interesse em sediar o torneio.

Com a mudança, o processo passará a levar quatro anos para ser finalizado. Anteriormente, a decisão era tomada em apenas dois anos. Além disso, a escolha de cada torneio será feita de forma individual, ao contrário do que acontecia antes, quando sedes de duas edições do torneio eram definidas simultaneamente.

Após abrir a cerimônia com um extenso relatório de suas atividades desde o último encontro do Conselho, que aconteceu em março, Gianni Infantino detalhou as mudanças que foram elaboradas para tornar o processo mais transparente e evitar as polêmicas causadas pelas escolhas de Rússia e Qatar.

Segundo a entidade, a nova fase de consultas da entidade, que consistirá na primeira etapa do processo seletivo, irá levar em conta diversos aspectos: inclusão de exigências relacionadas aos direitos humanos, gestão sustentável dos eventos e proteção ambiental na licitação, princípios que permitam a exclusão do país que não atender aos requisitos técnicos, avaliação da postura atual em propostas conjuntas e número de equipes. A medida visa evitar problemas como os enfrentados nas preparações da sede do Mundial do Qatar, em que diversos casos de trabalho escravo foram denunciados.

A Fifa também não comunicou se irá aumentar o número de seleções participantes no torneio, um dos projetos propostos por Gianni Infantino quando lançou sua candidatura ao cargo máximo da entidade. O presidente da Fifa anunciou que o formato do torneio, a elegibilidade e o número de seleções participantes só será definido em outubro de 2016, quando acontecerá um novo encontro do Conselho da entidade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos