Empresário e pai de jovem do Corinthians brigam e trocam acusações; veja

Dassler Marques e Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

O escândalo que envolve o empresário americano Helmut Niki Apaza, o Corinthians e o jovem jogador Alyson Mota ganhou novos capítulos nas últimas horas. O pai de Alyson, Wilson Motta, acusa o ex-agente Júlio César Polizeli de invadir sua casa e dar socos sobre ele, o que é negado por Júlio, que também diz ser vítima de agressão. 

A reportagem teve acesso a áudios gravados por Ana, mãe de Alyson, durante a discussão que ocorreu na noite de quarta-feira em Vila Costa Mello, na Ponte Rasa, onde reside a família do jovem.

O pai do garoto acusa Polizeli de agressão e de ter desviado o dinheiro do aluguel da casa onde vive. Júlio, por sua vez, justifica a questão mencionando que 'estava preso'. Durante o episódio, seis viaturas da Polícia Militar foram até a casa, mas nenhuma ocorrência acabou registrada. 

Em entrevista ao UOL Esporte, o ex-empresário do jogador deu sua versão para o caso e citou uma série de indisciplinas que marcam a ainda incipiente carreira de Alyson. A origem dos problemas entre o empresário e os familiares está na escolha pela troca de representante. Hoje, Alyson tem Jaílton Lopes como agente mas, de acordo com o antecessor, havia um contrato que foi quebrado de forma unilateral.  É Jaílton quem relata, por parte de Alyson, o que ocorreu na quarta.

Versão da família sobre a briga (contada pelo atual agente)

Arquivo Pessoal
Pai de Alyson exibe marca no rosto após briga corporal

ORIGEM DO PROBLEMA
O pai do Alyson descobriu que estava todo mundo envolvido nesta tramoia, então o Nick empresário americano fez a denúncia. (...) Quem estava no esquema era o Fábio Barrozo, Manuel da Carne e o Júlio Cesar Polizeli. A família não estava sabendo de nada, quando ficaram sabendo não quiseram mais trabalhar com este Júlio Cesar, então eu fui procurado para trabalhar com o garoto"

AGRESSÕES
Júlio ontem pegou a chave reserva da casa que ele alugou para a família e invadiu a casa, quebrou objetos, agrediu o seu Wilson (pai do Alyson) e o Alyson não estava no momento em casa. Até que o seu Wilson conseguiu imobilizar o Julio e alguém chamou a polícia. Foi uma cena de horror. O Julio pegou uma chave de fenda e tentou fincar no pescoço do seu Wilson, ficou uma marca enorme. Esse Julio, na minha opinião, eu não posso chamar ele de outra coisa a não ser de bandido.

AMEAÇAS DE MORTE
Depois de ter caxumba, ele não retornou ao clube, até porque ninguém sabe quem são essas pessoas e o que iam fazer com ele no caminho de casa para o treino. Lá dentro eu tenho certeza que não iam fazer nada com o garoto, mas como envolveu um esquema que todo mundo está falando que é criminoso, porque é o que parece, não mandamos mais lá o menino por causa disso. A segurança dele agora (preocupa) porque o Júlio ameaça ele constantemente. Está sendo ameaçado de vida, a família também.

Arquivo Pessoal
Pai de Alyson também teria lesionado o joelho em briga

AFASTAMENTO
Descobriram em janeiro deste ano, aí o menino foi misteriosamente afastado e começou a treinar com os garotos de avaliação. Em um desses treinos ele tomou uma cotovelada no maxilar, aí o Alyson ficou afastado alguns dias do clube. Depois deste esquema que eles fizeram, afastaram o menino, porque entre aspas o Alyson estava vendido pra fora para os EUA. (...) Depois disso ele teve uma caxumba (...) e o clube nem ligou, não deu nenhuma satisfação. Quem levou ele ao médico fui eu.

IMBRÓGLIO COM CORINTHIANS
No Corinthians, eu fui lá E conversei com o Claudinei (gerente técnico) da base. Ele disse que não tem a intenção de liberar o garoto, mas se quiser liberar tem que pagar uma multa de R$ 9 milhões que é baseado em 200 vezes o salário que ele ganha. Eu fui lá com o pai pedir a liberação.

A versão de Júlio César Polizeli sobre o caso

Arquivo Pessoal
Júlio César Polizeli agenciava o jovem Alyson

DESCRIÇÃO DA CENA 
Eu cheguei lá e o portão estava aberto. Eu entrei, bati na porta, e o Anderson, irmão do Alyson, me atendeu. O pai dele começou a ficar todo 'nervosão', veio para cima de mim, me empurrou numa escadinha. Eu não bati nele, ele bateu a cara na parede, não sei o que ele fez. Eu caí, ele subiu em cima de mim, me segurou e mandou chamar a polícia. 

'QUER IBOPE'
Não sou um monstro para encher alguém de porrada. Vou entrar no MMA agora? Tem quatro homens na família, para falar que eu cheguei dando soco, o cara quer ibope. 

TAMBÉM DIZ RECEBER AMEAÇAS
Eu mudei oito vezes de telefone por causa de ameaças. Descobriram o caso no Corinthians e começaram a me ameaçar. 
 
ALUGOU A CASA PARA A FAMÍLIA
Ele estava sendo muito zoado pelos meninos do sub-20 do Corinthians no alojamento. Os meninos rasparam as sobrancelhas dele. Houve muita confusão, então falei para a Rebeca (assistente social), 'vou ter que trazer essa família para morar em São Paulo. Eles moravam em estado de miséria em uma chácara em Itapevi. 

NOVO EMPRESÁRIO
Eu não sei quem é Jaílton, não conheço, você já falou com ele? Eu disse para a família tem em contrato a multa de R$ 2 milhões. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos