Em recuperação há 50 dias, Dudu deve voltar na 2ª rodada do Brasileirão

Diego Salgado

Do UOL, em Atibaia (SP)

  • Robson Ventura/Folhapress

    Dudu disputou 16 partidas na temporada e marcou três gols

    Dudu disputou 16 partidas na temporada e marcou três gols

Dudu vive um calvário desde o dia 24 de março, quando deixou o gramado do Pacaembu aos nove minutos do primeiro tempo com um problema muscular na coxa direita. Agora, depois de 50 dias, a comissão técnica do Palmeiras trabalha com a possibilidade de o atleta ficar à disposição na segunda rodada do Brasileiro.

Nesse cenário, o retorno de Dudu ao time, com recuperação completa, ocorrerá no dia 21 de maio, contra a Ponte Preta, em Campinas. Hoje não existem chances de o meia-atacante participar da estreia palmeirense na competição diante do Atlético-PR, neste sábado (14).

De acordo com o preparador físico Omar Feitosa, Dudu deve começar a treinar normalmente na próxima semana. O camisa 7 tem realizado trabalhos específicos nos treinamentos, em espaços menores.

"Ele está evoluindo muito bem. Precisa fazer treinamentos no campo todo. Ele tem feito em espaços reduzidos, muitos treinamentos de fortalecimento muscular para diminuir a possibilidade de nova lesão", explicou Omar em entrevista ao UOL Esporte.
 
A ideia é colocá-lo em campo no dia 21. "Ele treinando em campo inteiro, acho que consigo colocá-lo à disposição do Cuca na segunda rodada. Senão o jogo inteiro, parte dele", explicou o preparador físico.
 
Cesar Greco/Ag Palmeiras
Dudu realizou trabalhos à parte durante o período sem jogos do Palmeiras

Depois da lesão, Dudu jogou apenas 58 minutos (28 contra o Corinthians e 30 diante do São Bernardo). Durante o período sem jogos, após a eliminação no Paulistão e na Libertadores, o meia-atacante tem alternado atividades nas áreas internas e no campo, à parte.

Segundo Omar, o atleta tem mostrado ansiedade em voltar logo aos gramados. "Ele está muito ansioso, ele quer jogar, fica bravo. Tem que saber conduzir, lidar, cuidar, depois ser um pouquinho mais firme", disse.

Nesta quinta-feira, por exemplo, Dudu trabalhou ao lado de outros dez jogadores, em um espaço ao lado do campo principal, onde 22 jogadores faziam trabalhos táticos sob o comando de Cuca.

Para Omar, a postura do jogador é compreensível. "Eu prefiro jogador assim: que querer para o jogo, que quer estar em campo. É bom lidar com jogador assim. Ele pergunta um dia sim, um dia não. Por segurança estamos fazendo um trabalho um pouquinho mais demorado com ele", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos