Andrés diz que Lava Jato é problema pessoal e minimiza escândalo na base

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Arquivo Pessoal

    Mané da Carne (à direita) é investigado pelo Conselho de Ética do Corinthians

    Mané da Carne (à direita) é investigado pelo Conselho de Ética do Corinthians

O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, se pronunciou neste domingo a respeito dos casos que atingem André Luiz de Oliveira (vice-presidente) e Manoel Ramos Evangelista (conselheiro vitalício) no clube. Segundo ele, que também falou sobre naming rights e o pagamento da Arena, o caso investigado pela Polícia Federal não envolve o clube. 

André Negão, como é conhecido o vice, foi convocado para depoimento na Polícia Federal na operação Lava Jato. A PF suspeita que ele tenha recebido R$ 500 mil em propinas da Obebrecht, construtora da Arena Corinthians. 

"O Corinthians não tem nada a ver com a Lava Jato. É um problema pessoal que o tempo vai dizer quem está certo e quem está errado. O Corinthians não tem nada a ver com isso, muito menos a Arena", declarou Andrés. 

"Na base infelizmente sempre tem problema, todos os clubes passam, e agora muita fofoca. O Corinthians tem órgãos fiscalizadores. Com o tempo, a Comissão de Ética, as pessoas vão saber. Isso é muito ruim para o Corinthians. É muito disse-me-disse", acrescentou Andrés sobre o caso de desvio de dinheiro na base do clube que tem, entre os acusados, Mané da Carne, apelido de Manoel. 

"É meu amigo, até que provem o contrário", disse sobre o conselheiro. "Se formos pegar quem tem processo no país...se ele estiver errado, será punido. Não sou amigo só do Mané. Sou amigo de gente boa e gente ruim. Estou falando a pura verdade do que acontece no clube. O que estiver errado, o Corinthians vai punir. Anteciparam a campanha política", protestou. 

"Só existe uma denúncia na minha opinião, oficialmente. O presidente levou para a Comissão de Ética. Alguns conselheiros procuraram outra instância infelizmente. Quem estiver errado será justamente punido", disse ainda Andrés.
 
Confira o que mais disse Sanchez:

NAMING RIGHTS
Está muito próximo. O presidente nos próximos dias e semanas vai anunciar numa grande festa da Arena. Está atrasado há dois anos e meio, porque é muita coisa. Não é que não vai colocar o nome. Vai ser Arena Corinthians, Arena do Povo, o que o torcedor escolher. Com o tempo, vamos ver o que fazemos com o nome depois. É um projeto inovador que acredito que outros clubes vão copiar. Uma fonte de renda muito grande.

PARCELAS NÃO PAGAS DO ESTÁDIO
Pagamos até onde era obrigação, até março. Até abril está no pleito da prorrogação, todos os clubes tiveram 36 meses e nós requeremos mais 19 meses. Quem falou é mentiroso, em março fizemos pleito na Caixa, que bloqueou pagamentos a partir de abril, e desde então será prorrogado. Temos até 12 anos a pagar, se fechar o nome pelo valor que estamos esperando mais ou menos, se vender as CIDS, 60% do estádio estará pago em um ano.

Obs.: O Corinthians pede mais 19 meses de prorrogação para retomar o pagamento de parcelas da Arena. A decisão deve sair em breve. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos