Torcida do Cruzeiro pede renúncia de presidente na porta de CT

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Thiago Fernandes/UOL Esporte

    Torcedores do Cruzeiro protestam em frente à Toca da Raposa

    Torcedores do Cruzeiro protestam em frente à Toca da Raposa

No dia em que o Cruzeiro marcou a apresentação do português Paulo Bento e reuniu os seus principais dirigentes na Toca da Raposa II, cerca de 50 torcedores, conforme a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), compareceram à porta do centro de treinamentos para protestar contra a diretoria.

O principal alvo das manifestações foi o presidente Gilvan de Pinho Tavares. As faixas pediam a renúncia do dirigente e questionavam a falta de dinheiro para contratações, sobretudo devido ao balanço patrimonial divulgado em abril passado. O documento aponta que o clube teve uma receita de R$ 363 milhões.

Thiago Fernandes/UOL Esporte

Antes mesmo de saber do protesto, o dirigente já se pronunciou sobre a pressão da torcida em relação ao seu trabalho.

"Torcida de time grande como o Cruzeiro não aceita a derrota. É torcida de time grande. Então a gente entende esse sentimento da torcida. Até em casa ou com os amigos, todo mundo cobra, acha ruim. Quando o time ganha, aí tudo muda", afirmou.

"Só vi protesto em relação ao presidente do Cruzeiro e a alguns atletas que injustamente sofreram protesto da torcida. Caso do Allano, que vinha bem, fez gol e sofreu injustiça de alguns torcedores. Eu vi de forma geral a torcida vaiando o presidente. Isso é normal. Eu já fui recebido com aplausos da torcida e quando adversário fez um gol passaram a me xingar. Quando o Cruzeiro virou, me elogiaram novamente e eu saí ovacionado. Torcida de time grande como o Cruzeiro não aceita perder", acrescentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos