Alisson vê Dunga como para-raio de pressão e descarta "cadeira cativa"

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela

Do UOL, em Los Angeles (EUA)

  • Lucas Figueiredo/Mowa Press

    Alisson, da seleção brasileira, se estica durante coletiva de imprensa

    Alisson, da seleção brasileira, se estica durante coletiva de imprensa

Alisson admite que a seleção brasileira sofre certa pressão por vitórias e até pelo título da Copa América Centenário. O provável goleiro titular afirmou que os jogadores sentem bastante a cobrança durante a semana de preparação, mas ressalta que o que mais sofre com isso é o técnico Dunga.

O ex-atleta do Internacional e futuro arqueiro da Roma, no entanto, afirma que o capitão do tetra está preparado para sofrer as críticas pela instabilidade no time.

"Somos muito cobrados pelo resultado, pela torcida, por vocês da imprensa. Nosso chefe, o técnico, é nele que cai toda a responsabilidade, ele tem consciência disso e está capacitado para isso. Está todo mundo preparado e quando chega na seleção brasileira você precisa assumir esse peso de jogar. E o Dunga é muito inteligente, viveu muito na seleção como jogador e treinador e está preparado para pressão", afirmou o jogador.

Apesar de ter sido titular nos últimos jogos da seleção, Alisson afirma que não se sente garantido para começar entre os 11 na competição que tem a estreia brasileira marcada para o dia 4 de junho, diante do Equador. 

"Na seleção ninguém tem cadeira cativa, cada dia, cada jogo, cada treino é provar sempre o meu valor", destacou. "O jogador da seleção brasileira precisa estar preparado para tudo, a cobrança é grande, o peso de dentro e fora de campo é sempre muito maior", completou.

Alisson, aliás, chegou a ter seu nome como um dos cotados para estar nas Olimpíadas do Rio de Janeiro como um dos atletas acima de 23 anos. Com a titularidade de Ederson no Benfica, no entanto, os nomes de Willian e Miranda ganharam força. O problema é que Chelsea e Inter de Milão, respectivo clubes dos atletas, não têm a intenção de liberar.

O goleiro afirma que está preparado para a disputa do ouro, mas completa que Ederson também poderá assumir tal função sem comprometer o desempenho do time.

"(O Ederson) É jovem, tem mostrado o potencial. Conheço pouco dele, ele é tranquilo, de poucas palavras. Um goleiro muito técnico, apresentando uma técnica boa e refinada, de força e velocidade. Com goleiro, Dunga não precisa se preocupar".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos