Kelvin promete São Paulo com espírito de Libertadores em Curitiba

Luis Augusto Simon

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Site oficial do São Paulo

O técnico do São Paulo, Edgardo Bauza, repete a todo momento que os jogos de Libertadores têm 180 minutos. E o time, muito pragmaticamente, entendeu o recado e chegou às semifinais, mesmo perdendo fora de casa.

Kelvin promete o mesmo estilo de Libertadores contra o Coritiba, com uma pequena diferença. "Agora, o jogo tem 90 minutos. É sempre uma final. A gente precisa ganhar fora de casa, não tem essa de se classificar mesmo perdendo."

O atacante acredita que o São Paulo já está mostrando um estilo vencedor, mesmo com a derrota em casa para o Inter. "Nós fizemos uma boa partida, lutamos até o final, conseguimos o empate e não conseguimos segurar. Mas o espírito de luta, houve sim".

O estilo de jogo também não muda. "Temos uma identidade formada, com boa defesa e bom ataque. Não vamos mudar nada no próximo jogo"

Contra o Coritiba, não estarão em campo os seus três parceiros preferenciais: Bruno, para a ultrapassagem; Ganso, para a tabela; e Calleri, para a definição.

Ele não vê diferenças. Aponta qualidades em Auro e Lucas Fernandes e prevê uma breve recuperação de Kardec. "Jogou muito bem contra o Botafogo. Sofreu a falta que o Lucas marcou. Assim que marcar um gol, seu futebol vai ressurgir".

Kelvin vive uma espécie de lua de mel com o São Paulo. Fica feliz pela sequencia de jogos com que garantiu um lugar no time, com a possibilidade de voltar a cobrar escanteios e principalmente com a torcida. "Foi arrepiante ver 60 mil pessoas incentivando a gente. Nunca tinha passado por isso".

Vai ficar? Só dezembro dirá. "Tenho foco no São Paulo. Estou feliz aqui. Mas não sei de nada. Não sei o que virá no final do ano".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos