Justiça obriga Cruzeiro a usar 25% da renda para pagar débito ao Mineirão

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Seth Kugel/The New York Times

    Minas Arena ganha briga com o Cruzeiro na Justiça, mas clube pode recorrer

    Minas Arena ganha briga com o Cruzeiro na Justiça, mas clube pode recorrer

A relação entre Cruzeiro e Minas Arena, gestora do Mineirão, é a pior possível. A empresa responsável pelo estádio recebeu, nesta quarta-feira (25), um parecer positivo em relação à ação movida há dois meses contra o clube, na qual cobra uma dívida de R$ 9 milhões referente às despesas do local em dias de jogo do time. A agremiação está obrigada a destinar 25% da renda de suas partidas a um fundo judicial com o intuito de quitar o débito.

Samuel Lloyd, diretor comercial da concessionária, crê que a diretoria cruzeirense deve iniciar os depósitos já neste sábado (28), quando enfrentará o América-MG, às 16h (de Brasília), pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

"Hoje recebemos uma decisão positiva de um bloqueio de 25% do borderô para um depósito judicial. Para que lá no futuro, quando essa questão for resolvida, o clube tenha fundos para pagar o que for necessário. Acredito que, a partir da próxima partida no Mineirão, já será valido", disse o dirigente à Rádio Itatiaia.

A decisão ainda cabe recurso, mas enquanto não houver um parecer favorável ao Cruzeiro, é necessário que sejam feitos os depósitos. Na manhã desta quarta-feira, a diretoria do clube confirmou o intuito de romper o contrato de fidelidade com a empresa. A agremiação ainda cobra R$ 25 milhões da Minas Arena.

Sobre a tentativa da agremiação mineira, Samuel Lloyd é cauteloso: "Não fomos notificados oficialmente. Ficamos sabendo da decisão do clube pela imprensa", comentou.

O imbróglio envolvendo Cruzeiro e Minas Arena se iniciou em julho de 2013. Na ocasião, a empresa cedeu o estádio ao Atlético-MG para a disputa da final da Copa Libertadores da América diante do Olimpia, do Paraguai. O clube mineiro não teve que arcar com 70% dos custos da partida, conforme indicado no contrato entre Raposa e gestora.

Entretanto, há um cláusula no vínculo que exige que o Cruzeiro tenha os mesmos benefícios que outros clubes que atuarem no local. Portanto, a partir de agosto daquele ano, a agremiação deixou de contribuir com os gastos na realização de partidas, deixando a Minas Arena como responsável pelo fato.

"O nosso contrato de fidelidade com o clube diz que o Cruzeiro não precisa pagar nenhum tipo de aluguel. Esses R$ 9 milhões dizem respeito ao reembolso de 70% dos custos da partida. A concessionária paga ainda 30% dos gastos em jogos aqui (no Mineirão)", explicou Samuel Lloyd.

Entenda o caso

O UOL Esporte entrou em contato com Louis Dolabela, advogado especialista em direito esportivo, para entender a situação. Em conversa com a reportagem, ele fez as seguintes considerações:

"O Cruzeiro, ao apresentar sua defesa nos autos do processo movido pela Minas Arena, apresentou o que chamamos de 'reconvenção'. Ou seja, além de rebater os pedidos da Minas Arena, formulou pedidos contra a concessionária. Dentre outras coisas, busca o clube mineiro a rescisão do contrato por culpa da ré e indenização por danos morais e materiais", afirmou.

"O Cruzeiro não ajuizou uma nova ação contra a Minas Arena, conforme noticiam alguns órgãos de imprensa. Apenas formulou em sua defesa pedidos contra a concessionária, conforme permite a lei. A Minas Arena não será citada, mas, sim, intimada para que se manifeste quanto aos pedidos formulados pelo Cruzeiro", acrescentou.

"Por fim, entendemos temerário o pedido de dano moral formulado pelo clube. Data venia, a imagem e a honra do clube não foram afetadas. E, ainda que o fosse, tal valor está totalmente fora da realidade dos tribunais pátrios. Ao que parece, o clube busca forçar na justiça uma situação que não existe e ainda corre o risco de pagar significativos honorários aos advogados da Minas Arena caso seu pleito não seja atendido", concluiu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos