Presidente diz que chamou Gaviões para falar com atletas e ironiza comissão

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

O presidente Roberto de Andrade chamou a responsabilidade em relação à reunião entre jogadores do Corinthians e membros da Gaviões da Fiel na semana passada, no CT Joaquim Grava. Nesta quinta-feira, após vencer a Ponte Preta por 3 a 0, Roberto disse que chamou os torcedores. Na entrevista, acrescentou ainda que a comissão técnica não deveria interferir no caso. Tite, porém, já mostrou descontentamento. 

"Conversa cabe sempre, em qualquer lugar. Chamei quatro pessoas da torcida para conversar. Não é a primeira vez que faço isso. Achei necessário", declarou Roberto.  "A comissão não tem que dar aval nenhum. O presidente sou eu. Se eu chamei para conversar, não chamei a comissão técnica. Chamei a torcida para conversar com jogadores. A comissão não precisa falar se pode ou não. Eu sei o que pode", acrescentou". 

Roberto de Andrade também falou sobre jogadores. Segundo ele, ninguém se incomodou com a reunião. "Todos ficaram muito confortáveis. O Guilherme não estava presente na conversa. Estava dentro da fisioterapia quando soube que os torcedores estavam. Houve a conotação de invadiram, vieram reclamar e nada disso. Depois, tudo normal. Pergunte a quem estava na sala", declarou, irritado. 
 
Na sequência, o presidente corintiano demonstrou indignação com rumores de que jogadores teriam sido agredidos em Salvador, na chegada à capital baiana para jogo com o Vitória, no sábado. Entretanto, admitiu o bate-boca. "Estavam lá, reclamação faz parte. Não tem como travar as pessoas de falarem. Não houve agressão, nada. Quem falou é mentiroso. Houve xingamentos e reclamações". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos