Kleber diz que foi vítima de 'erro médico', mas não guarda mágoa do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

    Kléber Gladiador defende hoje o Coritiba e voltou a enfrentar o Grêmio no domingo

    Kléber Gladiador defende hoje o Coritiba e voltou a enfrentar o Grêmio no domingo

Kleber Gladiador voltou a enfrentar o Grêmio. Depois de um ano do acordo na Justiça e rescisão de contrato, o atacante foi derrotado com o Coritiba no domingo. Depois do jogo, disse que foi vítima de um erro médico e que não guarda mágoas. 

"Foi extamente isso que aconteceu, um erro médico. Tanto que fui a outro médico em Porto Alegre e depois tratei em São Paulo. Estava estourado (o tornozelo). Tive que operar. E eu vinha jogando e tomando medicação, não sabia que tinha rompido. Hoje é fácil falar, mas passou, tenho carinho pelo clube", disse o Gladiador. 
 
O caso citado ocorreu em 2012. Kleber alegava repetidamente dores no tornozelo esquerdo e ficava fora de muitos treinamentos. Até que o departamento médico o entregou ao técnico Vanderlei Luxemburgo para voltar a jogar diante do Millonários, na Colômbia, pela Sul-Americana daquele ano. O jogador ficou seis minutos em campo e não aguentou de dor. Saiu e não atuou mais na temporada. Passou por cirurgia no tendão fibular ao fim daquele ano e voltou a jogar em 2013, quando foi titular do time. 
 
"Atrapalha qualquer jogador. Uma lesão que se toma infiltração para inibir a dor, se paga um preço por isso. Tenho carinho pelo clube e as pessoas. Não culpo nem julgo ninguém. Torço pelos títulos do Grêmio. Fui feliz enquanto estive aqui, não tenho que falar mal do clube", resumiu o atleta. 
 
No fim de sua passagem pelo clube de Porto Alegre, Kleber foi afastado do grupo e treinou separado. Depois do empréstimo ao Vasco, em 2014, o Gladiador esbarrou em um problema particular com Felipão, que treinava o time gaúcho, e acabou excluído. Trabalhou seis meses sem os companheiros até o fim do caso nos tribunais. 
 
Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o departamento médico do Grêmio negou qualquer erro. Segundo o médico Márcio Bolzoni, o tratamento realizado foi o melhor para evitar a cirurgia e Kleber foi autorizado a procurar o médico particular. A cirurgia, realizada no fim de 2012, foi, ainda, acompanhada por profissionais do clube. A postura é a mesma da época da lesão. 
 
Kleber já recebeu R$ 2,6 milhões do Grêmio em acordo de rescisão. Com aumento programado para o próximo mês, a parcela de R$ 220 mil será mantida pelos próximos três anos. 
 
Departamento médico foi alvo de críticas
 
O departamento médico do Grêmio foi alvo de críticas neste ano. O motivo foi o surto de caxumba que atingiu o grupo. A série de casos gerou cobrança interna e a chance de mudança entre os responsáveis pela pasta. Mas ao fim, nada aconteceu e a direção resolveu dar força aos profissionais do clue. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos