Torcedora que caiu de camarote retira processo contra o São Paulo

Bruno Thadeu

Do UOL, em São Paulo

  • Ronny Santos/Folhapress

    Milene, ao fundo, acompanha o atendimento de Wesley feito na sua sobrinha

    Milene, ao fundo, acompanha o atendimento de Wesley feito na sua sobrinha

A torcedora do São Paulo Milene Nunes Adipietro retirou nesta segunda-feira processo que moveu na semana passada contra o São Paulo na Justiça por dano moral e irregularidades no atendimento. Milene ficou assustada com a repercussão que o caso gerou nas redes sociais após a divulgação do processo.

Milene havia acionado o Tribunal pelo fato de ter caído no gramado após a grade de proteção do camarote ceder, provocando a queda de outros 15 torcedores, na partida vencida pelo São Paulo contra o Atlético-MG, 1 a 0, pelas quartas de finais da Libertadores.

Ao UOL Esporte, o advogado de Milene, Luciano Terreri, informou que o clube se prontificou a analisar o tema, não sendo mais necessária a participação da Justiça no caso.

"Desde o início tínhamos a intenção de não levar adiante esse assunto na Justiça. Entramos em contato com o São Paulo, e vamos conversar diretamente com o clube", comunicou o advogado.

Milene não se feriu na queda, mas sua sobrinha sofreu lesões no punho e mandíbula. 

Quem prestou o primeiro atendimento na sobrinha de Milene foi o jogador Wesley. No processo que havia movido, a autora responsabilizou o São Paulo por não ter oferecido segurança necessária para sua a integridade.

Ao todo, 16 torcedores caíram do camarote após comemorarem o gol de Michel Bastos. Por causa do incidente, o São Paulo está impedido de utilizar o setor de camarote onde ocorreu a queda. Na vitória do São Paulo diante do Palmeiras, domingo, o local ficou interditado, o mesmo ocorrendo na derrota do time tricolor contra o Inter, 2 a 1. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos