Filho de melhor do mundo, atacante do PSG pode escolher entre duas seleções

Do UOL, em São Paulo

Enquanto a diretoria do PSG agita o mercado europeu em busca de uma estrela para substituir Zlatan Ibrahimovic, o departamento de futebol do clube aposta muitas fichas em um jovem talento de sobrenome famoso. Timothy Weah é filho de George Weah, liberiano eleito o melhor do mundo em 1995, tem só 16 anos e já assinou contrato profissional com a equipe de Paris.

Timothy está no PSG desde 2014, quando ingressou nas categorias de base. Se um ano antes ele foi reprovado no Chelsea, o garoto impressionou os franceses, atuou com frequência nas equipes para jovens e neste mês assinou seu primeiro contrato profissional, com duração de dois anos.

Como completou 16 anos recentemente, agora ele já pode disputar partidas oficiais pelo time principal do PSG. "Enquanto isso, pelo menos joguei campeonatos com os garotos do sub-17 e isso me ajudou muito me integrar ao clube. Além disso, pude fazer muitos gols", comentou Timothy ao Le Figaro.

Em fevereiro, inclusive, o filho de Weah virou notícia ao fazer cinco gols pela equipe sub-17 em amistoso diante do Shanghai Shenhua. Seu sobrenome, como esperado, chamou tanta atenção quanto seu desempenho, mas George Weah aposta na personalidade do seu filho.

"Não acho que ele vai sentir a pressão do sobrenome. Sempre digo a ele que o talento não é suficiente. É importante trabalhar duro para chegar longe, e Timothy está fazendo isso", resumiu Weah, artilheiro da Liga dos Campeões de 1994/95, quando defendia justamente o PSG. Foi no fim de 1995, inclusive, que Weah acabou coroado como o melhor jogador do mundo. Na época, ele havia se transferido para o Milan.

Se Weah nasceu na Libéria, Timothy é natural de Nova York, onde viveu até 2014, quando se mudou para Paris. Nesse período, já foi convocado para a seleção de base norte-americana. Seu coração, no entanto, está dividido. Atuar pela França não está descartado, caso sua carreira decole.

"Eu me sinto norte-americano, mas também gosto da França. Por enquanto defendo os Estados Unidos, mas no futuro não sei por qual país vou jogar. Não é algo que me preocupa neste momento", avisou Timothy.

Sua preocupação é conquistar espaço na equipe principal do PSG. O curioso é que ele não conseguirá atuar ao lado de Ibrahimovic, seu ídolo, mas poderá substitui-lo no futuro. "Ver Zlatan jogar é maravilhoso. Espero ter chances no time profissional. Sei que o caminho é longo, mas estou disposto a todos os sacrifícios", completou o jovem Weah, mostrando que ouviu os conselhos do pai artilheiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos