Para presidente do Real, dificuldade para conquistar o Espanhol 'é anormal'

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/Luca Piergiovanni

    Florentino Perez: rivais impõem uma marca maior a ser batida por campeão espanhol

    Florentino Perez: rivais impõem uma marca maior a ser batida por campeão espanhol

O Real Madrid conquistou em 2016 seu segundo título da Liga dos Campeões em três temporadas. O que é um motivo de festa para a torcida e para o clube, porém, reflete um jejum que o time tem apresentado dificuldades para vencer: a falta de títulos no Campeonato Espanhol.

A equipe não vence a liga espanhola desde a temporada 2011/2012. Neste período, foram três títulos do Barcelona (2013, 2015 e 2016) e um do Atlético de Madri (2014) na competição.

O motivo? Em entrevista ao jornal esportivo espanhol Marca, o presidente do Real Madrid apontou justamente a qualidade dos rivais na briga. Para Florentino Pérez, o aproveitamento do Real no Campeonato Espanhol daria ao clube os títulos nacionais em qualquer outra liga do mundo.

"O que não é normal, não é normal. E não é normal não ganhar uma liga com mais de 90 pontos – nem aqui, nem em qualquer outro lugar do mundo. Para ganhar o Campeonato Espanhol nos últimos anos, temos que fazer 100 pontos e marcar 120 gols. Não é normal", declarou o dirigente.

"Em nenhum campeonato do mundo acontece algo assim. Não digo nada. O Atlético ganhou um campeonato com 90 (pontos), e eu gostaria de ganhar uma com 90, 92 ou 94, não com 100. Para nós, é muito difícil ganhar o Campeonato Espanhol", acrescentou.

Nas últimas cinco ediçõs do Campeonato Espanhol, o campeão sempre teve que alcançar a marca de 90 pontos para levantar a taça. Em 2012, o Real Madrid fez 100, contra 91 do Barcelona e 61 do Valencia; em 2013, foram 100 do Barcelona, contra 85 do Real e 76 do Atlético de Madri.

Em 2014, o Atlético de Madri somou 90 pontos, à frente dos 87 de Barcelona e Real Madrid. Já nas duas últimas temporadas, o trio Barça-Real-Atlético somou, respectivamente, 94, 92 e 78 pontos (2015) e 91, 90 e 88 pontos (2016).

Para efeito de comparação, na Inglaterra, o Leicester foi campeão em 2016 com 81 pontos, à frente de Arsenal (71) e Tottenham (70). Na temporada 2014/2015, o Chelsea ficou com o título ao somar 87 pontos, contra 79 do Manchester City.

Na Itália, a Juventus foi campeã em 2016 com 91 pontos, contra 82 do Napoli e 80 da Roma. Na temporada anterior, a equipe de Turim levantou a taça com 87 pontos, à frente de Roma (70) e Lazio (69). Hegemonia mesmo, a Juve só demonstrou na temporada 2013/2014, quando foi campeã com 102 pontos, à frente de Roma (85) e Napoli (78).

Apesar dos problemas para conquistar o Campeonato Espanhol, o Real Madrid é hegemônico na Liga dos Campeões da Europa. Na temporada 2015/2016, a equipe levantou a taça do torneio pela 11ª vez em sua história, bem à frente de seus principais perseguidores – o Milan tem sete taças do torneio, contra cinco de Bayern de Munique, Barcelona e Liverpool.

"Quando você ganha a 11ª taça, você sente uma grande satisfação. Em primeiro lugar, pela torcida, que é capaz de responder ao chamado do clube em qualquer parte do mundo. Em situações assim, você se dá conta da grandeza do Real Madrid. Não é normal ganhar 11 taças europeias, mas é certo que é uma competição na qual o Real Madrid se sente cômodo, que a carrega em seu DNA", afirmou.

Real Madrid divulga vídeo da comemoração do título da Liga dos Campeões

  •  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos