São Paulo e Porto pensam em pacotão para negociar Maicon e mais 3 jogadores

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

  • Robson Ventura/Folhapress

    São Paulo tem tentado negociar com o Porto, que demora a responder

    São Paulo tem tentado negociar com o Porto, que demora a responder

O São Paulo quer ficar com Maicon e Kelvin em definitivo. O Porto se interessa nos jovens Inácio e Lyanco, crias das categorias de base do clube paulista. A troca entre os jogadores pode ser o caminho para ambos desejos se concretizarem, mas Luiz Cunha, diretor de futebol são-paulino, reiterou que os portugueses não têm tratado essa questão com urgência.

Em entrevista ao UOL Esporte, o dirigente comentou a negociação tentada pelos paulistas, que querem manter a dupla que ajudou o São Paulo a alcançar a semifinal da Copa Libertadores. A prioridade é o zagueiro Maicon, emprestado até o dia 30 de junho e que ficaria de fora dos duelos com o Atlético Nacional caso seu vínculo não seja estendido.

"Pode estender o contrato por mais um mês a gente tem vários casos que a gente estende por um mês", disse Cunha. Carlos Gouveia, repórter do jornal português "O Jogo", explicou que o prolongamento do empréstimo, ou até mesmo uma negociação definitiva, não serão tarefas fáceis – é mais provável que a manutenção de Kelvin enfrente menos empecilhos.

"O Kelvin não vai voltar a jogar no Porto seguramente. É um jogador mais barato. Se o clube quisesse muito vender o Kelvin, o empréstimo seria até junho como o do Maicon. Deixá-lo ficar até ao final do ano é porque não se importa que o Kelvin fique aí", explicou o jornalista, que acompanha o clube português.

O lateral Inácio e o zagueiro Lyanco podem ser a moeda de troca para permanência de Kelvin, segundo o repórter Carlos Vara, do jornal "A Bola". "Falam muito desses dois. Oficialmente o Porto não comenta, mas esses jogadores são os que interessam do São Paulo. Creio que isso possa acontecer na transação com o Kelvin. Esses dois ou outros da base do São Paulo", comentou.

Luiz Cunha, por outro lado, mostrou insatisfação com o silêncio do clube português, que apesar de ter preferências, não deu respostas aos chamados do São Paulo para negociar.

"Eles não falam nada, a gente quer fazer uma negociação global. Estamos tentando, mas é complicado lá. A transação conjunta Maicon e Kelvin me interessaria mais. Já que é para negociar, vamos fazer de uma só vez para não ficar sofrendo toda a hora", comentou o dirigente, que afirmou que não houve pedido de troca de Kelvin pela dupla da base. "Não temos essa informação."

O diretor também disse que o clube não tem a intenção de se desfazer dos atletas formados no São Paulo, que poderiam ser moeda de troca para que Maicon e Kelvin ficassem no brasil.

"Não vamos falar em nome de jogadores. Estamos satisfeitos com os nossos meninos. Nós os formamos então não queremos dar em negociação. Podemos estudar, mas aí é outra história", admitiu.

"Vamos analisar qualquer coisa, mas nós não gostamos da ideia de colocar os nossos meninos neste negócio", continuou. "Vamos estudar qualquer possibilidade de negócio. Estudar não significa aceitar."

Cunha afirmou anteriormente que a prioridade inicial do clube é prolongar o contrato de Maicon, para depois tentar contratá-lo em definitivo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos