Após 10 dias, Dunga terá primeira chance de treinar com time titular ideal

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela

Do UOL, em Los Angeles (EUA)

  • Lucas Figueiredo / MoWA Press

    Filipe Luís e Casemiro chegaram à seleção após a final da Liga dos Campeões

    Filipe Luís e Casemiro chegaram à seleção após a final da Liga dos Campeões

Após dez dias de concentração nos Estados Unidos, Dunga poderá, pela primeira vez, fazer um treino com seu time titular ideal. A três dias da estreia na Copa America, contra o Equador, o treinador da seleção brasileira ainda não conseguiu reunir os 11 jogadores que considera ideal por diferentes motivos.

A última pendência resolvida foi a chegada de Filipe Luís. O lateral esquerdo do Atlético de Madri chegou na concentração na última terça-feira exausto após disputar 120 minutos da final da Liga dos Campeões. E perder. Ele só correu em volta do gramado, curiosamente, ao lado de um de seus algozes: Casemiro, do Real Madrid.

Assim, o Brasil terá a seguinte formação treinando com bola pela primeira vez: Alisson; Daniel Alves, Gil, Miranda e Filipe Luís; Luiz Gustavo; Willian, Elias, Renato Augusto e Coutinho; Jonas.

Antes disso, o comandante havia enfrentado outros problemas. Daniel Alves chegou do Barcelona apenas no quarto treino após fazer tratamento ainda na Espanha para se recuperar de fascite plantar. Coutinho não fazia parte dos planos iniciais, mas foi a opção à ausência de Douglas Costa.

Ainda assim, apesar de ter seus 11 titulares, Dunga não poderá formar dois times de 11 para se enfrentar. Novamente, enfrenta problemas com viagens e cortes. Lucas chega aos Estados Unidos às 7h após uma viagem de 12 horas de avião. Certamente, não estará nas suas melhores condições físicas. Marcelo Grohe enfrentará a mesma situação, mas será terceiro goleiro e tem papel menos importante nos treinos.

Kaká e Fabinho foram colocados em observação após a vitória por 2 a 0 contra o Panamá. Os dois já não treinaram na última terça-feira e são dúvidas para o treino de quarta. Não à toa, Dunga tem feito trabalhos alternativos para colocar o que quer com o grupo em prática.

Apesar das dificuldades nos dez primeiros dias, Dunga pode ter a inédita possibilidade de ficar ao lado de seus convocados por quase 30 dias. Se chegar à final da Copa América, o comandante poderá realizar o que já se tornou quase um sonho: ter sequência de trabalho. Constantemente, ele reclama desta dificuldade para mudar o futebol da seleção brasileira.

Nas Eliminatórias, Dunga tem enfrentado o mesmo tipo de problemas para reunir o grupo. Lesões e dificuldades de logística fazem com que nem todos os atletas possam fazer a programação de treinos completa.

Depois de passar os primeiros dias treinando no campo do LA Galaxy, a seleção brasileira muda sua concentração para Hollywood e treina na Universidade da Califórnia. A estreia está marcada para o dia 4, contra o Equador, em Pasadena. O estádio será o Rose Bowl, mesmo local do tetracampeonato do Brasil em 1994. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos