Campeão da matinê, Corinthians até desenha urina para controlar hidratação

Dassler Marques e Emerson Vicente

Do UOL Esporte e colaboração para o UOL Esporte, em Sâo Paulo

  • Clelio Tomaz/AGIF

O técnico Tite odeia, os jogadores fazem bico, mas o Corinthians deita e rola nos jogos às 11h no Campeonato Brasileiro. Ainda assim, a equipe certamente gostou do fato de o confronto contra o Botafogo, dia 19 (domingo), não ser mais às 11h.

Contando com as partidas disputadas no ano passado com os desta temporada, o alvinegro é o melhor entre os clubes da Série A, com 100% de aproveitamento e nenhum gol sofrido nas quatro partidas que fez na matinê. Mas, para conseguir tal feito, a comissão técnica executou um estudo detalhado com o elenco e até mesmo desenhou as cores da urina aos jogadores para ajudar na preparação.

Segundo Antonio Carlos Fedato Filho, fisiologista do clube, os jogadores preencheram um questionário para identificar quais os maiores incômodos com os jogos disputados pela manhã. Em geral, os atletas reprovaram o horário, alegando, entre os principais fatores, que ele atrapalha o sono e a alimentação.

Em jogos à tarde ou à noite, o atleta tem um período maior de sono, toma o café da manhã mais tarde e faz três refeições pré-jogo, ao menos. Quando joga pela manhã, fica nove horas sem comer e vai para campo só com uma refeição no estômago.

O clube tenta manter o mesmo número de horas de sono. Assim, antecipa o horário da ceia para as 21h, tentando fazer com que o jogador durma mais cedo. Nos jogos disputados pela manhã, a concentração de glicogênio, uma "reserva energética", é menor que nos jogos à tarde ou à noite, o que aumenta a probabilidade de câimbra e fadiga. Segundo o técnico Tite, quatro jogadores corintianos sofreram com câimbra após o jogo contra o Sport.

Para evitar isso, a comissão técnica faz um esquema especial de alimentação. O macarrão, tradicional almoço de domingo, vira café da manhã para os jogadores, devido ao carboidrato. Ele é consumido três horas antes da partida.

Para fazer o controle da hidratação, Fedato diz que foram colocados cartazes em todos os banheiros com amostras sobre cores das urinas dos atletas. O objetivo era fazer com que o próprio jogador identificasse algum problema conforme a cor do seu xixi. Esse controle de hidratação começa a ser feito dias antes do jogo matutino. A urina com um tom amarelo mais escuro, por exemplo, é mais concentrada por causa da pouca quantidade de água, o que geralmente aponta baixa ingestão de líquido.

O que aumenta ainda mais a preocupação é a temperatura. Contra o Sport, por exemplo, os termômetros apontavam 27°C no Recife durante o jogo na Ilha do Retiro.

O Corinthians fez quatro jogos às 11h, venceu todos, marcou dez gols e não sofreu nenhum. Em 2015, bateu o Santos por 2 a 0 e depois o Joinville, por 3 a 0. Neste ano, passou pela Ponte, por 3 a 0, e venceu o Sport pelo mesmo placar.

O São Paulo é outro time com 100% de aproveitamento, mas fez apenas dois jogos. Venceu o Coritiba por 3 a 1, no ano passado, e bateu o Botafogo por 1 a 0 neste ano.

O time que mais jogou às 11h foi a Ponte Preta. Foram sete partidas em 2015 e duas em 2016. Venceu três e empatou quatro, tendo 61,9% de aproveitamento.

Colaborou Dassler Marques, do UOL Esporte

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos