Estreia é jogo fundamental e pode decidir futuro do Brasil na Copa América

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela

Do UOL, em Los Angeles (EUA)

  • Lucas Figueiredo / MoWA Press

A seleção brasileira estreia no sábado (4) pela Copa América Centenário, em Pasadena, na Califórnia, contra o adversário que, em teoria, deverá ser o mais difícil do Grupo B: Equador. O primeiro rival é aquele que mostra maior possibilidade de complicar o futuro do Brasil nas quartas de final. Uma derrota na estreia poderá significar um encontro mais difícil na próxima etapa.

O Equador não foi às quartas de final da Copa América de 2015, muito menos às oitavas da Copa do Mundo de 2014, mas mostrou impressionante evolução nos últimos 12 meses sob o comando do técnico argentino Gustavo Quinteros. Tem ótima campanha nas eliminatórias, com o mesmo número de pontos do líder Uruguai e venceu até a Argentina em Buenos Aires.

Diferentemente do Brasil, que chega à Copa América com uma equipe nova e remendada por tantos cortes e principalmente pela ausência de Neymar, protagonista, o Equador tem um time base. Quinteros tem montado a equipe num 4-4-2, com um ataque em que quatro jogadores de muita velocidade chegam à área: Jefferson Montero, Fidel Martínez, Enner Valencia e Miller Bolaños. Como alternativas, ainda, o atleticano Juan Cazares, Jaime Ayovi e Antonio Valencia, do Manchester United, caso não jogue como lateral.

O Grupo B, de Brasil e Equador, pode ser decidido parcialmente logo na primeira rodada porque tem Peru e Haiti como outros participantes. A seleção peruana não chega aos Estados Unidos com a mesma qualidade daquela que foi à semifinal da Copa América do ano passado e teve Paolo Guerrero como artilheiro do torneio. Hoje o Peru tem jogado mal, é antepenúltimo na tabela das eliminatórias e vê o centroavante do Flamengo em fase muito menos eficiente.

Pelos momentos vividos por cada seleção do grupo, acredita-se que Peru e Haiti não briguem pelas duas primeiras vagas do grupo para as quartas de final. Assim, quem vencer entre Brasil e Equador teria grandes chances de já definir qual das seleções passará em primeiro e qual passará em segundo. O primeiro colocado do Grupo B pegará o segundo colocado do Grupo A, e vice-versa. O Grupo A tem Estados Unidos, Colômbia, Costa Rica e Paraguai - este último tirou o Brasil nas quartas de final do ano passado.

Antes da estreia, o Brasil treina nesta sexta-feira no Rose Bowl, palco do jogo de sábado e também da final da Copa do Mundo de 1994. A seleção ainda aguarda a recuperação do zagueiro e capitão Miranda, que não treinou na quinta-feira por desconforto muscular e chegou a ser cogitado como sétimo cortado, depois de Luiz Gustavo, Kaká, Rafinha, Ederson, Douglas Costa e Ricardo Oliveira. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos