Jogador acusado de estupro é solto no Rio. Polícia não vê indícios do crime

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Pedro Ivo Almeida/ UOL

    Lucas Perdomo Duarte Santos, jogador do Boa Vista acusado de estupro coletivo

    Lucas Perdomo Duarte Santos, jogador do Boa Vista acusado de estupro coletivo

Suspeito de participar de um estupro coletivo de uma garota de 16 anos, o jogador de futebol Lucas Perdomo Duarte, 20 anos, foi solto nesta sexta-feira (3). Lucas deixou o Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro, nesta tarde. Ele estava preso temporariamente desde segunda-feira e foi liberado após a polícia entender que não há indícios suficientes para sua detenção, solicitando a revogacão de sua custódia.

A delegada Cristiana Bento, que hoje comanda as investigações sobre o estupro coletivo, foi quem pediu a libertação de Lucas após ouvir depoimentos de testemunhas. A liberação do jogador, por volta das 18h10, teve o apoio de um promotor público e foi autorizado pela 2ª Vara Criminal de Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro.

"O depoimento de uma nova testemunha [na última quinta] reforçou o que defendemos. Lucas não participou do caso. A delegada se convenceu disso. Mostramos conversas de celular que a vítima informa que o meu cliente não estava lá", explicou Eduardo Antunes, advogado de Lucas Perdomo.

A mãe, o pai e a namorada do jogador estiveram em frente ao Complexo aguardando Lucas desde o início da manhã.

"Estamos muito aliviados. A gente tem certeza de que o Lucas não tem nada a ver com isso. Vamos provar que ele é inocente", disse ao UOL Esporte o pai do atleta, Silvio César Duarte Santos, de 50 anos.

O caso

Em depoimento à polícia, a vítima do estupro - menor de idade - disse ter sido drogada e violentada por um grupo de homens no último dia 21, após ter ido visitar o jogador Lucas, em comunidade conhecida por morro da Barão. Segundo o primeiro relato da jovem às autoridades, quando ela acordou após ser dopada, viu cerca de 30 homens armados de pistolas e fuzis em um imóvel.

O caso ganhou repercussão depois de imagens do ato terem sido vazadas na internet.

Agora responsável pela investigação, a delegada Cristina Bento, que substituiu o delegado Alessandro Thiers, titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), declarou na segunda-feira que tem certeza da ocorrência de crime. "Minha convicção é de que houve estupro", disse, em entrevista coletiva. "Está lá no vídeo, que mostra um rapaz manipulando a menina". 

Seis ordens de prisão foram expedidas pela Justiça. Além de Lucas Santos, Rai de Souza, Michel Brasil, Raphael Belo, Marcelo Corrêa e Sergio Luiz da Silva Junior são os alvos. Esse último, também conhecido por "Da Rússia", é apontado como chefe do tráfico do morro da Barão. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos