Valdivia ataca técnico após perder Copa América: "Nem sequer me viu jogar"

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / MARTIN BERNETTI

    Valdivia reclamou após ter sido cortado da seleção chilena

    Valdivia reclamou após ter sido cortado da seleção chilena

O meio-campista Jorge Valdivia não digeriu bem o fato do treinador da seleção chilena, Antonio Pizzi, ter optado por não convoca-lo para a disputa da Copa America Centenario, que começa nesta sexta-feira (03), nos Estados Unidos.

Em entrevista ao jornal chileno "As", o ex-jogador do Palmeiras afirmou não entender as razões do técnico em corta-lo do elenco que conquistou o torneio no ano passado. Ainda segundo Valdivia, Pizzi sequer o viu jogar antes de tomar a decisão.

"Estou muito triste. Fiquei muito surpreso quando vi que estava fora da pré-lista com 40 jogadores. Isso só para começar. Fui parte dos jogadores que disputaram duas Copas do Mundo e que são parte do período mais bem sucedido da seleção em sua história. Caso eu não estivesse dentre os 23 que seriam escolhidos, poderia ser mais plausível", avaliou Valdivia.

De acordo com o atleta, não houve nenhum tipo de diálogo com Pizzi para que ele soubesse as razões pelas quais perdeu espaço no elenco. A notícia de que não faria parte nem da pré-lista para a Copa América veio apenas pela imprensa e pelas redes sociais, algo que incomodou Valdivia.

"Dentro da seleção temos um grupo muito unido, há muita amizade. Nos conhecemos há muito tempo, mais de 10 anos. Fiquei triste. Fui uma vez para a seleção quando estava nos Emirados Árabes e senti que não tinha condições de estar lá. Estava em uma liga pouco competitiva e por isso resolvi mudar. Com o tempo, vi que me equivoquei. Por mais inferior que seja uma liga, se você se prepara para estar bem, pode acabar rendendo", avaliou Valdivia, que complementou.

"Não estou atacando a seleção e nem tenho problemas com Pizzi. Só me surpreendo por não estar na lista porque sou considerado importante para a seleção. Todos me respeitam. Pensei que poderiam me chamar. Preferia até que ele tivesse mentido e dito que estava me observando."

Valdivia também fez questão de rebater a explicação dada por Pizzi à imprensa chilena quando foi questionado sobre a ausência do meia. De acordo com o treinador, o atleta não foi convocado por não estar nas condições físicas consideradas ideais para competir.

"Fiquei surpreso com as declarações dele. Disse que pesou o físico para não me chamar. Ele não me viu fisicamente. Disse que a liga não é competitiva e deu a entender que não passo por um bom momento, mas ele sequer me viu jogar. Antes da Copa América-15, as pessoas me questionavam fisicamente. Me preparei com um fisioterapeuta, o José Amador. Se tivesse me chamado e pedido que eu me preparasse, teria feito isso (novamente)", explicou Valdivia.

Valdivia, que declarou ter visto a partida contra o México de sua casa, disse que não gostaria de afirmar que tem um lugar na equipe, já que respeita seus companheiros. Contudo, o meio-campista ironizou mais uma vez a explicação dada por Pizzi para não convoca-lo.

"É onde me questiono sobre o que significaram as explicações do treinador. Se tomo como base as declarações dele, a primeira resposta que devo te dar é que ele só deve chamar jogadores da Europa, por conta do preparado físico. Aí eu me questiono se tem alguma coisa a mais", questionou Valdivia.

Por fim, Valdivia prometeu que, apesar da decepção, continuará trabalhando forte para receber uma oportunidade com o novo técnico, que substituiu Jorge Sampaoli após a conquista do torneio sul-americano em 2015.

"Confio que podem fazer uma grande Copa. Tem jogadores de qualidade mundial na equipe. Os jogadores que o Chile possui estão acostumados a jogar partidas decisivas. Vou seguir lutando para, quando o treinador quiser me conhecer, estar à altura da seleção", finalizou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos