STJD interdita estádio Mané Garrincha após briga entre torcedores

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/TV Globo

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD )decidiu nesta quarta-feira interditar o estádio Mané Garrincha, em Brasília, depois do conflito entre torcedores de Flamengo e Palmeiras no último domingo. O presidente do tribunal, Caio Cesar Rocha, atendeu ao pedido da Procuradoria.

Na denúncia, os promotores enquadraram o Flamengo no artigo 211 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) com pedido de liminar para que o estádio Mané Garrincha fosse interditado em caráter urgente. 

Segundo o STJD, Caio Cesar deferiu a interdição do estádio após análise do pedido e das provas juntadas. A decisão será mantida até que sejam apresentadas soluções que garantam a completa segurança do estádio -- ela se restringe apenas às partidas de futebol.

A confusão no Mané Garrincha começou no intervalo da partida entre Flamengo e Palmeiras, quando torcedores alviverdes tentaram invadir o setor destinado aos flamenguistas na arquibancada.
 
Na ocasião, houve o confronto entre a PM e os membros das organizadas do Palmeiras. A Polícia utilizou o gás de pimenta para dispersar os torcedores. O efeito do spray impediu o reinício do jogo por cerca de quinze minutos e chegou a atrapalhar jogadores e outros espectadores.
 
Confira abaixo parte do despacho: 
 
"No caso em tablado, verifico a presença inequívoca, ao menos neste juízo sumário, do fumus boni juris, na medida em que o incidente provocado por condutas (omissiva ou comissiva) do denunciado Flamengo, mandante da partida (utilização de gás de pimenta por parte dos torcedores, causando sérios riscos a todos os presentes, e brigas violentas entre as torcidas na arquibancada, ultimando em vítimas graves), violou as normas jus-desportivas atinentes à infraestrutura e segurança das praças de desporto. 
 
Ademais, a d. Procuradoria acosta aos autos elementos de prova no sentido de que não é a primeira vez que acontece um evento dessa natureza no estádio objeto do presente pedido de interdição; ao contrário, traz reportagem jornalística que assinala que "inaugurado em 2013, o estádio foi palco de duas brigas neste mesmo ano, o que, na ocasião, causou uma repercussão muito negativa na imprensa local e internacional (...) Em agosto daquele ano, novamente com uniformizadas do Fla envolvidas, houve um pancadaria generalizada com torcedores do São Paulo (...)" (fls. 16/17). 
 
Outrossim, o periculum in mora resta demonstrado, pois parece-me que, ao menos neste juízo perfunctório, o Estádio Mané Garrincha não reúne condições para receber partidas com a devida segurança, até que sejam apresentadas soluções que garantam a completa segurança no estádio, seja em relação à própria infraestrutura da arena, seja em relação à elaboração de protocolos de segurança específicos para tal estádio. 
 
Isso posto, DEFIRO a liminar para determinar a interdição do Estádio Mané Garrincha, estritamente para a realização de partidas de futebol, não se aplicando para a promoção de eventos de outra natureza (shows, por exemplo), até ulterior deliberação por parte deste Tribunal". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos