Tite diz que saída mexeu com Felipe e prefere mistério para enfrentar Cuca

Do UOL, em São Paulo

  • Ronny Santos/Folhapress

Tite definiu que Felipe será o capitão do Corinthians no domingo, contra o Palmeiras, em sua provável despedida com a camisa corintiana. Mas, segundo o treinador, a negociação já definida com o Porto-POR mexeu recentemente com o jogador, que foi chamado para uma conversa privada. Ainda em entrevista coletiva, Tite se recusou a confirmar a escalação. 

"O Felipe é o capitão da equipe. Ele tem capacidade de ficar voltado para o jogo, depois é com a direção. Já o Yago é um cara muito centrado, estou muito tranquilo com a participação dele no jogo", disse inicialmente. 

"A do Felipe há algum tempo atrapalhou, e eu chamei para falar com ele. Chamei o Eduardo (Ferreira, diretor adjunto de futebol). Quando essas negociações aconteciam, o Felipe desconcentrou. Chamei ele na minha sala, falamos a respeito, ele entendeu também, administrou, retomou seu foco. A gente via que o desempenho dele no treinamento não era igual. Não é o caso agora", admitiu Tite, com mistério do time. 
 
"O Cuca trabalha a equipe em cima do adversário, então me dou esse direito. Não vou externar. Tem momentos especiais, entendo que esse é um deles, não vou repassar escalação", analisou o comandante corintiano. 
 
Apesar disso, o Corinthians deve atuar com: Walter; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique e Cristian; Marquinhos Gabriel, Guilherme e Giovanni Augusto; Luciano. 

SITUAÇÃO DE GUILHERME
 
Guilherme ficou fazendo no dia anterior um trabalho específico com fisioterapeuta, de transição, não sentiu nada. Ele treinou hoje, mas não teve problema maior. Prefiro confirmar a escalação depois. Vou definir a equipe a partir de amanhã, não sei se vou externar.
 
MOMENTO DO PALMEIRAS
 
Posso falar a nosso respeito. Não sei o processo evolutivo ou detalhes do dia a dia do Palmeiras. Difícil falar do Palmeiras do Marcelo, do Cuca, do Oswaldo... O clássico mais jogado que lembro foi o 2 a 2 contra o Oswaldo. Um jogaço! Ele teve característica mais técnica em alguns momentos, em outro mais pegado. Sou privilegiado de participar de um dos maiores clássicos, na segunda-feira você sai na rua e já fervilha tudo.
 
CLÁSSICO DE TORCIDA ÚNICA
 
Antes eu pensava: por que os tops, os caras que estão na mídia não são voz ativa para tentar mudar o futebol. Hoje sou técnico do Corinthians e vou falar o que penso. Tenho que lamentar. Muito. Aquilo que era para ser espetáculo acaba por cercear pessoas. Aqui mesmo veio o procurador do Ministério Público e pediu para a gente tomar cuidado com gestos, atitudes... Eu ficava pensando: 'Como posso participar?' A coisa é mais ampla, de educação, de corrupção, de valores que ao invés de serem empregados na educação vão para a corrupção, a roubalheira.
 
O JEITO É ACEITAR
 
Vamos acolher e acatar independente do nosso sentimento. Tem uma coisa maior: respeitar regras e instituições. Que o torcedor não faça disso motivo para balbúrdia, confronto. Se queremos que as coisas melhorem, vamos dar exemplo, não vamos fazer disso um ato de rebeldia. Foi feito, vamos acatar. O sentido é não ter violência? Vamos embora.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos