Dívida de abertura da Copa não foi quitada; Justiça manda COL pagar R$ 2 mi

Vinícius Segalla

Do UOL, em São Paulo

  • Getty Images

    Empresa responsável pela cenografia da abertura da Copa não foi paga pelos serviços prestados

    Empresa responsável pela cenografia da abertura da Copa não foi paga pelos serviços prestados

Uma ordem judicial determinou que o COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo de 2014) pague uma dívida líquida e certa de R$ 2 milhões à empresa responsável pelos equipamentos e montagem da cenografia das cerimônias de abertura e encerramento da Copa no Brasil.

De acordo com sentença judicial proferida no início desta semana, a entidade, então comandada por José Maria Marin e atualmente presidida por Marco Polo Del Nero, contratou e não pagou a MChecon Produções para realizar os trabalhos cenográficos das cerimônias do Mundial.

Na realidade, a remuneração prevista em contrato seria de R$ 2,55 milhões, sendo contratados posteriormente serviços adicionais nos valores de R$ 12 mil e R$ 26. A empresa prestou os serviços, mas recebeu apenas R$ 796 mil, constando em aberto R$ 1,8 milhão, valor que acabou por alcançar R$ 2 milhões em virtude dos juros e correções.

Antes de levar o caso à Justiça, a MChecon tentou resolver a questão de forma administrativa, sem sucesso, e enviou duas notificações extrajudiciais ao COL, cobrando-lhe providências. Diante da falta de resposta, entrou com uma ação judicial no ano passado.

"Está incontroverso que o requerente não recebeu a quantia indicada na inicial como devida a título de remuneração de serviços efetivamente prestados de montagem e desmontagem de peças cenográficas para os eventos mencionados, além da realização de outros atos imprescindíveis ao bom andamento das cerimônias. Em síntese, resta inequívoca a contratação da autora para prestação de serviços que, cumpridos, não foram adimplidos mediante a remuneração contratada", diz a sentença judicial que condena o COL ao pagamento.

Diego Azubel/EFE
Claudia Leitte e Jennifer Lopez cantam na cerimônia de abertura da Copa do Mundo de 2014

Esta não é a única conta que o COL deixou em aberto após a Copa de 2014. Segundo informou o jornal Folha de S.Paulo, no total, 14 empresas cobram na Justiça de São Paulo dívidas referentes a serviços prestados para as cerimônias de abertura e de encerramento da Copa. Elas forneceram cenografia, equipamentos de som, logística, segurança, iluminação e comunicação, reclamam prejuízos que, somados, passam dos R$ 4,2 milhões. 

Em nota, o COL informou que as empresas que cobram receber na Justiça foram contratadas pela empresa Spirit, que por sua vez foi contratada pelo COL para organizar as cerimônias da Copa. O comitê diz que é a Spirit quem tem que ser cobrada. A Justiça, porém, não entendeu dessa maneira, e mandou o comitê pagar as dívidas, uma vez que era ele, COL, quem havia contratado a Spirit, além de ser o responsável último e único beneficiário pelos trabalhos executados pelas empresas credoras.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos