Herói da França e "melhor que Zidane", Payet já foi recusado na segundona

Do UOL, em São Paulo

  • Lee Smith/Reuters

Uma das favoritas ao título da Eurocopa, a seleção francesa de Pogba e Griezmann só conseguiu vencer a bem menos badalada Romênia na estreia, na última sexta-feira, na reta final da partida. E o herói da vez não foi nenhum jogador pop star: Payet, aos 43 minutos do segundo tempo, soltou a bomba do meio da rua e decidiu o confronto. Mas quem é ele?

Florent Dimitri Payet, esse é o nome completo do meio-campista de 29 anos, nascido em Réunion, departamento ultramarino da França localizado no oceano índico, ao leste de Madagascar – sim, mais próximo à África do que da Europa. Se não fosse por seu pai, aliás, seu talento ainda estaria reservado aos pouco mais de um milhão de habitantes da ilha.

Reprodução / Google

É que Payet, aos 16 anos, achou que seu sonho de ser profissional do futebol estava acabado: à época, havia sido dispensado do Le Havre. "Muito pequeno, não tão bom para a segunda divisão francesa", disseram a ele. A frustração no continente fez o jogador de 1,75 m voltar para Réunion e quase declinar ao convite do Nantes, que chegou dois anos mais tarde.

"Não queria outra chance", contou o atleta, atualmente no West Ham, da Inglaterra, ao jornal britânico Daily Mail. "Nem sequer queria ouvir de me falarem para voltar à França. Fiquei bastante traumatizado com o fato de, depois de quatro anos no Le Havre, eles terem me dispensado. Argumentei sobre isso com meu pai, e ele insistiu para eu aceitar".

Payet aceitou. E fez bem. Sua carreira, no entanto, deixou de ser local para deslanchar apenas em 2015. Antes, havia defendido Nantes, time pelo qual se profissionalizou em 2005, Saint-Ètienne, Lille e Olympique de Marseille. De lá, transferiu-se para o West Ham, sem alarde nem status de grande jogador.

Uma temporada depois, já é ídolo do clube e, pelo menos para os torcedores, "melhor que Zidane". É o que cantam no estádio, ao estilo exagerado do humor inglês.

Payet não é melhor do que o craque ex-Real Madrid, é claro, mas liderou a equipe na briga por uma vaga na Liga Europa – o clube terminou a temporada em sétimo, com 62 pontos, quatro a menos do que o United, que ficou com a última vaga.

Foram nove gols em 30 jogos no Campeonato Inglês de 2015/16, além de 11 assistências, desempenho que o levou ao "time do ano" elaborado pela Associação de Jogadores Profissionais do país. Na reta final da competição, o treinador do clube, Slaven Bilic, disse que com simples palavras já não era possível descrever a importância do atleta no elenco.

"Preciso fazer aulas de poesia para falar sobre Payet em campo", brincou.

A essa altura, Didier Deschamps, comandante da França, vinha em sequência na qual dava preferência a outros jogadores da posição. "Se a seleção tem tantas peças melhores do que ele, então vencerá a Eurocopa com facilidade", disse, sem entender a ausência.

Payet foi convocado para representar o país pela primeira vez em 2010. Na última sexta, com tiro de pé canhoto de quase 100 km/h no ângulo rival, no estourar do cronômetro, virou herói da torcida que recebe o torneio do Velho Continente. Não à toa, saiu de campo chorando.

Pelo menos enquanto a euforia não baixa, os franceses podem admitir aquilo que lá em Londres já se sabe: Payet é melhor que Zidane! Ou não é para tanto? 

A letra da música da torcida

Em inglês

We've got Payet, Dimitri Payet!
I just don't think you understand.
He's super Slav's man, he's better than Zidane.
We've got Dimitri Payet!

Em português

Nós temos Payet, Dimitri Payet!
Eu só não acho que você entende
Ele é o homem do "superslav", ele é melhor que Zidane
Nós temos Dimitri Payet

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos