"Nova seleção brasileira" põe futuro e emprego de Dunga à prova contra Peru

Danilo Lavieri e Guilherme Palenzuela

Do UOL, em Boston (EUA)

  • Lucas Figueiredo / MoWA Press

Como gostam de definir os membros da CBF, a "nova seleção brasileira" dá passo importante neste domingo (12). Após uma renovação pautada na limpeza da geração que participou do vexame do 7 a 1 contra a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014, o time entra em campo para confirmar a vaga como primeiro colocado do grupo na Copa América Centenário.

O jogo está marcado para 21h30 (de Brasília), em Boston, contra o freguês favorito de Dunga, o Peru. E é justamente esta partida que coloca o emprego do treinador em risco. Um revés e uma possível eliminação ainda na primeira fase seriam decisivos para a demissão do capitão do tetra. Em contrapartida, a vaga nas quartas de finais siginificaria uma chance do comandante calar, ao menos provisoriamente, todas as críticas que sofre durante o momento de renovação.

Depois de empatar com o Equador por 0 a 0 na estreia e vencer o Haiti por 7 a 1 na segunda rodada, a equipe precisa ao menos do empate para avançar sem depender dos resultados do grupo. Quem ficar em primeiro, pega a Colômbia, em Nova York. O vice-líder encara os Estados Unidos, em Seattle.

As dúvidas na escalação não foram respondidas por Dunga. Ele poderá contar com Miranda, seu capitão, pela primeira vez. É provável que Marquinhos perca a vaga na equipe, mas ainda há a pequena chance de Gil ser o sacado. No meio-campo, o suspenso Casemiro deve ser substituído por Walace. Mais à frente, há uma chance razoável de o técnico promover a troca que causaria mais impacto: Jonas por Gabigol.

O atacante santista corresponde a tudo o que Dunga procura. Maior poder de fogo, maior movimentação à frente, lembrando do estilo de Neymar, e juventude, símbolo da renovação buscada pela comissão técnica. Gabigol será atacante da seleção olímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, em agosto deste ano.

"Os 23 que estão aqui brigam por uma vaga, não tem nada fechado. Eu falo sempre para os meus jogadores que, muitas vezes, quem entra é mais importante do que quem começa jogando", disse o técnico. "Vou fazer treinos, tenho algo na minha cabeça, mas vou decidir depois que colocar no campo e ver se meus olhos concordam". 

O adversário será o Peru. Comandado pelo ex-palmeirense Ricardo Gareca, a equipe aposta no ex-corintiano e atual flamenguista Paolo Guerrero e no futuro são-paulino Cueva como as grandes apostas. Com o empate, precisa que o Equador não tenha goleado o Haiti. Se perder, torce para que os haitianos façam o milagre de ao menos empatar.  Como joga depois do encontro dos rivais, entrará em campo contra a seleção sabendo o que precisará fazer.
 

FICHA TÉCNICA
BRASIL X PERU

Local: Gillette Stadium, em Foxbourogh (EUA)
Data: 12 de junho de 2016, domingo
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Andres Cunha (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Walace;  Elias, Renato Augusto, Willian e Philippe Coutinho; Gabigol (Jonas)
Técnico: Dunga

PERU: Gallese; Revoredo, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Trauco; Vílchez, Tapia, Hohberg, Flores e Cueva; Paolo Guerrero
Técnico: Ricardo Gareca

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos