Barcelona faz acordo por "caso Neymar"e aceita pagar multa de R$ 21 milhões

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Albert Gea

    Bartomeu confirmou acordo nesta segunda-feira, em entrevista coletiva

    Bartomeu confirmou acordo nesta segunda-feira, em entrevista coletiva

O Barcelona entrou em acordo com a Justiça da Espanha pelo "caso Neymar" nesta segunda-feira. O clube catalão aceitou pagar uma multa de 5,5 milhões de euros (R$ 21,5 milhões). A decisão foi confirmada pelo presidente do clube, Josep Maria Bartomeu.

"Não foi uma decisão fácil, mas é a melhor para o clube. Entre as opções que tínhamos, a melhor era essa. É melhor acabar com o processo agora e seguir. O Barcelona assume essa responsabilidade como entidade jurídica", disse Bartomeu em entrevista coletiva.
 
O acordo faz com que o clube seja julgado como pessoa jurídica, sem a inclusão dos dirigentes no processo. Dessa forma, eles serão livrados da prisão o próprio Bartomeu e o ex-dirigente do Barcelona Sandro Rosell. A comissão composta por diretores do Barcelona aprovou o pacto com a Justiça -- no total, foram 14 votos a favor, dois contra e uma abstenção.
 
O presidente do Barcelona também falou sobre um possível renovação de contrato do craque brasileiro, que se encerra daqui a dois anos. "Estamos em permanente contato com pai de Neymar. Estamos negociando. Vamos tentar renovar o contrato", disse o mandatário.


O processo na Justiça da Espanha

 
O Ministério Público espanhol considerou fraudulento o acordo e quer explicações sobre a origem dos 40 milhões de euros recebidos pela família na transação.
 
Os 40 milhões pagos pelo Barcelona à família Neymar foram depositados da seguinte forma: 10 milhões de euros foram desembolsados pelo clue catalão, em 2012, quando ele ainda defendia o Santos. O dinheiro de adiantamento foi depositado em uma empresa aberta pelo atleta.
 
Os 30 milhões restantes foram pagos pelo Barcelona em outra empresa de Neymar nos anos de 2013 e 2014 (quando ele já atuava pelo clube espanhol). Desde que as cifras foram levantadas pela Justiça, Neymar e Neymar Pai negam veementemente ter havido fraude e sonegação fiscal e alegam que os 40 milhões recebidos são referentes à comissão e direitos de imagem.
 
Para as Justiças brasileira e espanhola, esses pagamentos exclusivos a Neymar foram uma manobra para driblar o fisco e os então donos dos direitos econômicos (Santos, DIS e Teísa).
 
Oficialmente, o Santos havia declarado logo após o acerto com o Barcelona que a negociação representou 17,1 milhões de euros. Ou seja: menos do que a metade do depositado nas empresas de Neymar.
 
Posteriormente ao anúncio do Santos de que Neymar teria sido vendido por 17 milhões de euros, o clube catalão declarou que a contratação de Neymar havia custado 57 milhões.
 
Pressionada na época, a diretoria do Barça informou que os pagamentos relacionados ao jogador somaram 85 milhões de euros. Isso incluía custos indiretos como luvas, amistoso com o Santos, recursos para instituto Neymar e salários.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos