Itália suporta pressão da Bélgica e vence na estreia com golaço de Pellè

Do UOL, em São Paulo

  • Max Rossi / REUTERS

A Itália estreou na Eurocopa-2016, na França, com futebol defensivo bem ao seu estilo e venceu por 2 a 0 a Bélgica, seleção de nomes badalados. Emanuele Giaccherini, após lançamento do zagueiro Bonucci, anotou o primeiro gol do confronto. Pellè fechou a conta, com golaço.

A marcação forte dos italianos, com esquema baseado em três zagueiros entrosados, foi o destaque da partida: a rigor, o sistema defensivo falhou apenas uma vez, apesar da pressão do adversário no segundo tempo – e, quando aconteceu, Lukaku errou na finalização. Hazard e De Bruyne estiveram apagados.

Bonucci, do trio de beques, foi o melhor no duelo de Paris. Com o resultado, a equipe de Antonio Conte assume a liderança do Grupo E da competição. No outro jogo da chave, também pela primeira rodada, Irlanda e Suécia empataram em 1 a 1.

A próxima partida da Bélgica, agora lanterninha, será contra a Irlanda, no sábado (18). Um dia antes, a seleção italiana enfrentará a Suécia. 

O melhor: o "faz tudo" Bonucci

Kai Pfaffenbach / REUTERS

A seleção italiana de Antonio Conte desenhou estratégia e seguiu com ela até o fim: marcação forte e bola esticada para os atacantes. Armada no 3-5-2, conseguiu extrair o que tem de melhor: o trio de zagueiros, entrosados desde a Juventus. Bonucci, Barzagli e Chiellini foram impecáveis. Destaque para Bonucci, que, além de garantir o sossego de Buffon lá atrás, ainda descolou um lançamento do meio da rua para Giaccherini – o meia invadiu a área livre e, cara a cara com o goleiro Courtois, anotou o primeiro gol da partida, aos 31 minutos.

Bélgica ataca com chutes de longe

Michael Sohn / AP

Foi justamente por causa do bom sistema defensivo italiano, fazendo jus à tradição da seleção tetracampeã do mundo, que Hazard e De Bruyne, os maiores talentos do time, encontraram dificuldades na partida. Chance gol? Só chutando de longe, muito longe – as laterais e a entrada da área estavam congestionadas. Resultado: o volante Nainggolan foi quem mais levou perigo a Buffon no primeiro tempo, com dois tiros da intermediária.

E no único vacilo... Lukaku perde a chance do jogo

Kai Pfaffenbach/Reuters

A Itália, recuada nos primeiros minutos, "cansou" a Bélgica, que atacava com até sete jogadores de linha sem efetividade. A partir dos 25, começou a sair para o jogo e, aos 31, abriu o placar – seguiu com o domínio do confronto até o intervalo. Mas a seleção de Conte voltou desligada para o segundo tempo: já no início da metade final, em contragolpe, Lukaku saiu na cara de Buffon, sem marcação e tirou do goleiro. A finalização, muito alta, passou raspando o travessão. O atacante desperdiçou a melhor oportunidade da Bélgica.

O gol que Pellè não fez... e o golaço que ele fez

Kai Pfaffenbach / REUTERS

Logo depois do primeiro gol italiano, o Pellè deles, jogador do time inglês Southampton, teve a chance de ampliar a vantagem. Aos 36 minutos do tempo inicial, após bobeira da zaga belga, viu a bola sobrar para ele na linha da pequena área. Cabeceou livre, para fora. No último lance, no entanto, ele se redimiu: após cruzamento de Candreva, fechou a conta com golaço de voleio, finalização forte e de primeira. 

Entre as duas oportunidade, Pellè, também de cabeça, exigiu defesa difícil de Courtois - o goleiro belga, aliás, deve ser "poupado" das cornetadas pela derrota: além desse milagre, fez um outro em chute forte de Immobile, aos 39 da metade final. 

"Destaque" do jogo: a cabeleira do Fellaini

Jason Cairnduff / REUTERS

O meio-campista belga Fellaini é conhecido pela sua cabeleira black power. E, neste primeiro jogo da Eurocopa, apesar da partida ruim que fez, ganhou destaque justamente por causa do penteado: o jogador do Manchester United ficou loiro. Olha aí em cima como ficou.

Muita calma nessa hora

@azzurrabrasil/Twitter

O técnico da seleção italiana, Antonio Conte, terá uma lembrança ruim do jogo desta segunda-feira. Na comemoração do primeiro gol, o atacante reserva Simone Zaza acertou uma cabeçada no seu nariz. Conte precisou até de um lenço de papel para estancar o sangramento.

Ficha técnica

BÉLGICA X ITÁLIA

Local: Stade de France, Saint-Denis (França)
Data: 13/06/2016
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)

Cartões amarelos: Chiellini, Éder, Bonucci e Thiago Motta (Itália); Verthongen (Bélgica)

Gols: Giaccherini (Itália, 31' do 1º tempo) e Pellè (Itália, aos 45' do 2º tempo)

Itália: Buffon; Bonucci, Barzagli e Chiellini; Darmian (De Sciglio), De Rossi (Thiago Motta), Parolo, Giaccherini e Candreva; Pellè e Éder (Immobile). Técnico: Antonio Conte.

Bélgica: Courtois; Ciman, Alderweireld, Vermaelen e Vertonghen; Nainggolan (Mertens), Witsel, De Bruyne, Hazard e Fellaini; Lukaku (Origi). Técnico: Marc Wilmots. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos