Blogueiros: Quais as primeiras medidas que Tite deve tomar na seleção?

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

    Tite se despede antes de deixar o Corinthians para assumir a seleção brasileira

    Tite se despede antes de deixar o Corinthians para assumir a seleção brasileira

Com a chegada de Tite à seleção brasileira, qual deve ser a primeira (ou mais importante) medida a ser tomada pelo treinador logo que ele assumir o cargo? Entre as opiniões dos blogueiros do UOL Esporte estão anunciar quais seus convocados para os próximos jogos das eliminatórias e ter uma conversa com jogadores como Thiago Silva e Marcelo, preteridos por Dunga. 

André Rocha

Chamar Neymar, Thiago Silva e Marcelo para uma conversa. Com Neymar cobrar liderança técnica e definir se ele joga pela esquerda, sua preferência, ou no centro do ataque para abrigar Douglas Costa. Com os outros para definir o retorno e saber se eles, depois de tudo, ainda se sentem motivados para voltar.

Juca Kfouri

Anunciar seus 11 titulares, como fez João Saldanha quando assumiu.

Mauro Beting

A mais importante medida é ele trabalhar do jeito que ele sabe. Fazer o trabalho dele, esquecer a injunção política, convocar que ele acha que tem que convocar e, dentro do possível, dar todo apoio ao Rogério Micale na seleção olímpica.

Menon

Dar a lista de convocados para o jogo contra o Equador: 18 nomes e deixar quatro em aberto.

PVC

Correr a Europa conversando com os jogadores para refazer o compromisso perdido na Era Dunga. Jogadores que ele considere fundamentais, abandonados nos últimos tempos. Thiago Silva, Oscar, Marcelo. Não se trata de assumir compromisso de convocar, mas de deixar claro que o ambiente vai ser melhor e que são bem-vindos. A convocação vai depender do merecimento.

Vitor Birner

Na seleção terá que fazer ajustes nas metodologias de treinamento e de orientação os atletas. No Corinthians alguns querem ir para clubes do exterior, outros tiveram a oportunidade, e todos avaliam que não atingiram nesse momento o ápice na carreira. Quem atua na seleção, para a qual são chamados os mais renomados do país na atualidade, talvez obrigue o técnico a gerenciar mais estrelismo e em curto prazo com os convocados.

Se conseguir resultados positivos será avaliado como o mentor de tudo, pois os antecessores não tiveram competência. Topou por saber que a geração dos atletas, apesar de não ser brilhante, sugere que é possível jogar futebol de qualidade e talvez ser campeão. Ou seja: o tamanho da bomba é proporcional aos benefícios dos êxitos dentro dos gramados e consequentemente ao reconhecimento. Faria igual se fosse o treinador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos