Fla e Flu contrataram quase 2 times em 2016: veja como estão esses reforços

Bernardo Gentile e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Montagem/UOL

    Reforços de Flamengo e Fluminense em 2016 oscilam em importância nos times

    Reforços de Flamengo e Fluminense em 2016 oscilam em importância nos times

Início de temporada é sinônimo de muitas contratações. Flamengo e Fluminense deram razão à premissa e apresentaram muitas caras novas aos seus torcedores. O Rubro-negro foi quem mais se reforçou: 11 contratações até o momento, sendo que nove seguem no clube.

O Fluminense, por outro lado, contratou oito atletas – Diego Souza e Felipe Amorim já saíram. Dos seis que permanecem nas Laranjeiras, a maioria ainda luta por uma vaga no time titular. Entre todos os 15 reforços, apenas seis serão titulares no clássico deste domingo, em Natal.

O UOL Esporte detalhou a situação de cada reforço de Flamengo e Fluminense. Veja como estão cada um desses jogadores.

Pedro Martins/AGIF

Willian Arão: O jogador chegou ao Flamengo repleto de polêmicas após se desvincular do Botafogo na Justiça. O caso ainda corre nos tribunais do país e deve ser resolvido no fim do ano. Mas ele pode ser considerado o principal reforço do Flamengo. Não só é titular absoluto, como ganhou faixa de capitão.

Rodinei: Assim como Arão, foi uma das cartadas mais certas da diretoria do Flamengo na temporada. O lateral direito barrou imediatamente Pará e acabou a saudade dos mais saudosistas com Léo Moura. O jogador é um dos mais regulares e tem agradado comissão técnica e torcida.

Alex Muralha: Contratado por cerca de R$ 4 milhões, o goleiro chegou ao Flamengo e logo foi para a reserva. Até houve um início de rodízio, mas logo Paulo Victor assegurou a titularidade. Uma lesão do companheiro fez com que Muralha ganhasse nova oportunidade, dessa vez no Brasileiro. Será difícil voltar para o banco.

Rafael Vaz: Com a saída de Wallace, lesão de Juan e suspensão de Cézar Martins, o Flamengo se viu desesperado pela chegada de um zagueiro. Ex-Vasco, Rafael Vaz foi contratado e assumiu a titularidade. Até agora, tem deixado boa impressão e segue no time principal.

Rever: O zagueiro chegou ao Flamengo poucos dias depois de Rafael Vaz. Assim como o companheiro, ele já assumiu a titularidade. E logo na estreia conquistou a torcida ao marcar o gol da vitória sobre o Cruzeiro, no Mineirão. Os dois seguem no time principal, mas logo terão as companhias de Juan e Donatti.

Mancuello: Atrás de um camisa 10 desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, o Flamengo apostou caro no argentino do Independiente: R$ 12 milhões. Mancuello dava mostras de que se encaixaria no time, mas uma lesão mudou o rumo da prosa. O apoiador não conseguiu repetir o desempenho e está na reserva.

Cuellar: o colomciano vive situação bem semelhante a de Mancuello. Chegou após um investimento de aproximadamente R$ 8 milhões e assumiu rapidamente a titularidade. Uma lesão atrapalhou a sequência no Fla. Para piorar, viu o contestado Márcio Araújo dar conta do recado. Barrado, é opção no banco.

Chiquinho: Contratado sem grandes expectativas, o jogador tem feito o que se espera dele: compor elenco. Pode ser aproveitado no meio de campo ou na lateral esquerda, onde teve mais oportunidades durante lesão de Jorge.

Fernandinho: Diferentemente de Chiquinho, Fernandinho foi contratado para brigar por uma vaga no ataque. Até fez isso no início, mas não mostrou grande potencial e tem sido pouco aproveitado no Flamengo.

Mailson Santana/Fluminense FC

Henrique: Entre todos os contratados, o zagueiro foi o único que assumiu a titularidade desde o início. Bem verdade que os primeiros jogos foram ruins, com falhas em lances decisivos para o adversário. Se firmou ao lado de Gum entre os titulares.

Richarlison: Contratado por R$ 10 milhões, o jovem atacante chegou para ser o companheiro de Fred. Se destacou na pré-temporada e sofreu uma lesão que o deixou de fora dos gramados por meses. Quando voltou logo teve que assumir a vaga do ex-camisa 9 e não agradou. Foi barrado por Magno Alves, de 40 anos.

Renato Chaves: O Fluminense se viu na condição de contratar bastante zagueiros. Henrique e Renato Chaves chegaram, mas tiveram um início difícil. O primeiro se recuperou, mas o segundo não deixou o banco de reservas.

Willian Matheus: Chegou para suprir a deficiência na lateral esquerda, já que Giovanni, Léo Pelé e Ayrton não foram bem. O jogador fará estreia neste domingo, mas ainda deve ficar no banco de reservas. Por enquanto, Wellington Silva segue improvisado.

Maranhão: Destaque da Chapecoense no Catarinense, o atacante entrou na mira do Fluminense, que rapidamente fechou a contratação. O problema é que a posição de Maranhão conta com vários jogadores: Marcos Júnior, Osvaldo e até Richarlison.

Dudu: Com Felipe Amorim sem qualquer utilidade no elenco, o Fluminense decidiu apostar no jovem Dudu. O apoiador era considerado uma joia na categoria de base, mas não conseguiu brilhar ao ser profissionalizado pelo Coritiba. Não mostra bom desempenho nos treinamentos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos