Cuca diz que voltou 'calminho' da China e admite repetir cueca após vitória

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Palmeiras de Cuca é o líder do Brasileirão, com 22 pontos em 11 rodadas

    Palmeiras de Cuca é o líder do Brasileirão, com 22 pontos em 11 rodadas

O técnico Cuca tem fama de supersticioso e costuma negar as manias que ele carrega quando comanda seus times. O treinador do Palmeiras, entretanto, admitiu que gosta de usar as mesmas cuecas depois de vencer jogos.

"Camisa eu uso essa aqui (apontando para a do Palmeiras). Cueca, eu te digo, é verdade. Camisa, não. Você põe e ganha três joguinhos com ela. É legal", disse Cuca em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN.

O comandante palmeirense ainda ressaltou que voltou melhor da China, pois a passagem pelo futebol do país o deixou mais calmo no banco de reservas. O fato, segundo ele, está ligado à rotina dos cidadãos chineses.

"Eu acho que voltei melhor porque vivi dois anos na China e lá você fica calminho. Lá na China seu melhor amigo é você. Vai para o campo, treina e volta. Não tem vida social. Eu me diverti lá com o trabalho. O que me fez ficar lá foi o trabalho. Do contrário não tinha como ficar.

Confira mais trechos da entrevista

BARRIOS
O Barrios sempre conversa com os meninos, com o Erik. Esperamos contar com ele nos jogos, quem sabe até no próximo de quinta-feira, para ele colocar a qualidade dele nos jogos. Acho que não precisava (ir à tv responder), acho que foi demasiado. Ele poderia ter falado comigo, falei isso para ele. Ele foi educado, deu um focozinho de incêndio e foi apagado. O Barrios é consciente, ele não pede um lugar no time, ele sabe que terá de lutar pela posição e que o time está montado. Hoje eu não tenho o Cristaldo, o Alecsandro. Preciso dele. O que pode acontecer é chegar alguma coisa para ele. Não tenho rancor, mágoa, gosto dele. É uma boa pessoa.
 
CRISTALDO
Está praticamente acertado com o time do México. Talvez nem treine mais.
 
SELEÇÃO BRASILEIRA
Nunca coloquei isso na cabeça e parei um ano como Tite. Acho que até demorou para ele chegar lá.  Se eu parar seis meses, um ano, aí estarei preparado. Hoje não estou.
 
ESTILO DE JOGO
Eu era meia-atacante, era ponta de lança. Eu gosto que minhas equipes tenham variações, tenham um coringa. Eu não tenho vergonha de jogar por um 0 a 0 quando precisa. Gosto de ganhar jogo bem jogado também. Isso é principal para mim.
 
DIFICULDADE FORA DE CASA
Não encontrei o equilíbrio para jogar fora de casa. Eu sou obrigado a colocar esse time fora de casa. E pus contra o Cruzeiro. Mas foi bem. Vou jogar fora de casa de novo contra o Sport, na segunda-feira. Vou colocar essa nova ideia contra o Sport. Quando jogamos em casa, jogo com o time leve, sem volantes, Moisés, Tchê Tchê e Cleiton. Quando perdem a bola, já ficam em cima para recuperar. Fora de casa não estamos conseguindo fazer isso. Se joga sem o primeiro volante, fica exposto atrás. Tem de ter a mesma atitude, é mais difícil. Quando tem um time já pronto, não sente tanto.
 
PAULO NOBRE
Paulo Nobre é muito bom, palmeirense nato. O mandato dele vence no fim do ano. Está terminando o hotel, vai ficar uma maravilha. Ele trabalha dentro de um orçamento. Eu tenho conversado com ele sempre. Temos camisa 10, estou contentíssimo com o grupo, mas quanto mais puder ter, melhor, mais chances de ganhar.
 
SONHO DE IR PARA O PALMEIRAS
Foi um sonho que realizei e agora realizei um maior ainda ao ser treinador do time que torcia quando criança. Virei palmeirense por causa do meu pai, que era corintiano. Ele era muito chato. Então eu e meu irmão viramos palmeirense
 
LIDERANÇA NO BRASILEIRÃO
Estou feliz, quase 30% do campeonato estamos em primeiro lugar. Ainda podemos evoluir.
 
DERROTAS 
A gente sofre muito, não queria ser assim, queria, depois de uma derrota, ir para casa e dormir. Depois do jogo foi picadinho, de hora em hora pensava. Isso dói muito. Eu era pior. Sei perder, administro bem, mas tento achar uma culpa minha.
 
GABRIEL JESUS
O potencial do Gabriel ainda não atingido. Ele tem muito a crescer,. É um jogador raro. Ele não vai (embora). Paulo (Nobre) está vendo o programa. Não vai, não. 
 
BOTAFOGO
A coisa que mais queria era ter sido campeão com o Botafogo. Fui com o Flamengo depois. 
 
SABE GERIR O GRUPO?
São sete anos (depois do título carioca com o Flamengo em 2009). Sete anos de vida e naturalmente se evolui. Evolui muito de lá para cá. todo dia aprende, no dia a dia. Isso que aconteceu com o Barrios é natural. Trabalhar o ano inteiro tem de saber administrar. Modéstia à parte, trabalhei no Atlético-MG por dois anos e meio com jogadores de ponta e não aconteceu nada.
 
ALEXANDRE KALIL
Kalil foi o melhor o presidente que trabalhei. Ele é duro, fala o que tem de falar, fala e vai até o fim.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos