Visto como melhor técnico da Eurocopa, Conte foi acusado de encobrir máfia

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

Veja os gols de Itália 2 x 0 Espanha

Em todas as entrevistas, Antonio Conte repete:  "não há nada escrito no futebol". E desta maneira, o treinador da Itália foi derrubando favoritos como Bélgica e Espanha na Eurocopa mostrando grande superioridade em campo e levando o status de melhor técnico da competição. A história do resgate ao orgulho da seleção italiana veio com Conte superando caso de crime, com a acusação de encobrir uma máfia de apostas.

O drama de Antonio Conte aconteceu em 2011. O então treinador do Siena, pequena equipe da Itália, foi acusado pelo procurador Roberto Di Martino de fraude esportiva, e um pedido de seis meses de prisão e multa de 8.000 euros. Diziam que atuou como cúmplice da máfia quando o time que comandava fabricou a derrota de 1 a 0 para o Albinoleffe pela segunda divisão do Campeonato Italiano.

Na esfera esportiva, Conte chegou a ser punido por conta da acusação ficando quatro meses sem comandar a Juventus na temporada 2012/2013.

"Ele não gosta nada de falar sobre o tema, mas disse que havia acabado um pesadelo após a absolvição. A máfia de apostas é algo que o futebol italiano convive", contou Alain Valnegre, comentarista italiano da emissora Bein Sport.

Darren Staples/Reuters
Conte tem estilo enérgico de comandar o time em campo
Bom relacionamento

Convivendo com a acusação durante cinco anos, Conte ainda obteve imagem positiva na Itália graças ao sucesso como treinador. Foi tricampeão italiano com a Juventus entre 2012 e 2014.

"O Conte nos deu um padrão de jogo e confiança. Soube explorar qualidades de cada jogador insistindo no que achava o certo. Estamos aqui (quartas de final da Eurocopa) graças a ele" destacou o zagueiro Leonardo Bonucci ao final da vitória por 2 a 0 diante da Espanha na segunda-feira.

Bonucci acompanhou Conte em todo período de treinador na Juventus. Por sinal, o pilar do trabalho na seleção é o trio de zaga do ex-time, ainda incluindo o goleiro Buffon.

"Não é o sucesso defensivo que prevalece. É o equilíbrio tático que encontramos e a força mental e técnica de cada jogador˜, disse Conte ao ser perguntado sobre a maneira defensiva da Itália em atuar.

Para ganhar o elenco italiano, Conte ainda apostou em convicções. A presença do atacante brasileiro Eder, por exemplo, foi muito contestada por conta da temporada ruim na Inter de Milão. Agora, colhe o fruto pelo fato do jogador naturalizado italiano ser um dos principais destaques da Eurocopa.

No lado contrário, o treinador ganhou o respeito do elenco ao vetar no meio campo Andrea Pirlo e Sebastian Giovinco com a alegação de que por atuarem no futebol dos Estados Unidos estão em níveis físico e técnico abaixo dos demais.

"O Conte me ligou. Disse que não ia me convocar para a Eurocopa e explicou os motivos. Eu não tenho nenhuma mágoa ou decepção com ele por isso. É o caminho escolhido e tenho que respeitar", destacou Pirlo, em frase que deixa claro a aceitação dos jogadores ao trabalho do treinador.

Antonio Conte virou treinador da Itália logo após o fracasso na Copa do Mundo do Brasil, quando foi eliminada na fase de grupos. Agora, o desespero no país é pelo fato do trabalho já estar no final. Após a Eurocopa, Conte deixará o cargo. O acerto com o Chelsea já foi anunciado.

"O Conte é sem dúvida o treinador italiano que melhor prepara as partidas atualmente. Tem leitura. Ele voltou a dar agressividade defensiva para a seleção e criou uma equipe que joga com o coração. Não há Balotelli, ou alguém de classe mundial, mas um time disciplinado e com poucas falhas", opinou Alain Valnegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos