Polícia conclui trabalho e diz: meninas foram estupradas em festa de Jobson

Bruno Thadeu e Vinícius Segalla

Do UOL, em São Paulo

  • Victor Silva/SSPress

    Jobson nega ter tido relações com menores

    Jobson nega ter tido relações com menores

A Polícia Civil do Estado do Pará encerrou suas diligências na investigação da denúncia de estupros de quatro menores em uma chácara do atacante Jobson, ex-Botafogo, e concluiu: as adolescentes, com idade entre 12 e 14 anos, mantiveram relações sexuais com maiores de idade após terem sido induzidas a consumir bebidas alcoólicas na propriedade do atacante. A conclusão da autoridade policial vem mesmo depois de uma das adolescentes ter voltado atrás em um depoimento, dizendo não ter feito sexo na festa em questão, no início deste mês.

Manter relações sexuais com menores de 14 anos é considerado crime de "estupro presumido" no Brasil. Pela lei penal brasileira, uma pessoa menor de 14 anos não possui o discernimento necessário para decidir manter uma relação sexual, esteja ela ou não em estado alterado por álcool e drogas. Assim, ainda que ela faça sexo consensual com alguém maior de idade, tal ato é considerado estupro.

Foi o que ocorreu no caso em questão, segundo afirma o inquérito concluído pela Polícia Civil paraense, que foi enviado ao Ministério Público do mesmo Estado, para que este dê início a uma ação penal por estupro contra Jobson e mais dois amigos do jogador que também estavam na festa e, segundo testemunhos, também mantiveram relações sexuais com as adolescentes. Os três se encontram presos no Pará.

Para o delegado que conduziu as investigações, Rodrigo da Mota, a adolescente que voltou atrás em seu depoimento o teria feito porque estaria sendo pressionada por pessoas ligadas aos acusados, ou teria ainda recebido algum tipo de vantagem financeira para negar a ocorrência das relações sexuais.

Já o atacante Jobson nega os crimes, e pede que sejam feitos mais exames para provar sua inocência.

O inquérito policial foi instaurado na primeira quinzena de junho após uma das supostas vítimas denunciar que fotos suas em situações pornográficas estavam circulando em grupos de rede social por meio do aplicativo de mensagens por telefone celular WhatsApp.

Segundo relatou a suposta vítima, o jogador teria a aliciado para levá-la até sua chácara junto com outras três adolescentes. Na chácara, as vítimas teriam sido embriagadas, entorpecidas e abusadas sexualmente.

Ainda, conforme as denúncias, essa prática por parte do jogador teria ocorrido em diversas ocasiões no município.

A jovem relatou que desmaiou durante o evento que teria sido promovido por Jobson. Desacordada, ela teve fotos tiradas por Jobson e amigos do jogador. As imagens, segundo a polícia, foram compartilhadas nos grupos de rede social. Ainda, conforme o delegado, a vítima chegou a telefonar para o jogador, dizendo que iria denunciá-lo, e o acusado teria feito ameaças à garota. 

Jobson está suspenso do futebol profissional até 2019, após punição imposta pela Federação Saudita de Futebol por ter se negado a fazer um exame antidoping, segundo o Al Ittihad. A Fifa deu validade mundial à pena e o jogador assim só voltaria a jogar aos 31 anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos