Blogueiros: excesso de jogadores estrangeiros atrapalha futebol brasileiro?

Do UOL, em São Paulo

  • São Paulo/Divulgação

    Peruano Cueva é mais um estrangeiro a chegar ao futebol brasileiro

    Peruano Cueva é mais um estrangeiro a chegar ao futebol brasileiro

A Série A do Campeonato Brasileiro conta com quase 50 jogadores estrangeiros entre seus 20 clubes. Coritiba, Cruzeiro e Santos, com seis cada, lideram a 'legião de gringos' no Brasil. O número é muito alto? O excesso de estrangeiros ajuda ou prejudica o futebol nacional? De acordo com os blogueiros do UOL Esporte, a 'prática' é válida, desde que os estrangeiros não sejam inferiores em qualidade em relação aos jogadores brasileiros. Veja as opiniões:

André Rocha

São contratados primeiro pelo salário mais atrativo, em alguns casos por conta da visibilidade. Deveriam ser valorizados pela melhor leitura tática em relação aos brasileiros. Quanto a ajudar é relativo. Se for contratado com critério e as divisões de base não oferecerem qualidade é positivo. Se vier apenas para dar satisfação ao imediatismo de torcida e imprensa e negar oportunidades a jovens talentos é tiro na água.

Juca Kfouri

Nada contra jogadores estrangeiros. Que venham todos os bons. Mas só os bons. Pernas-de-pau já temos o suficiente por aqui...

Mauro Beting

O número é muito alto. Também por muitos deles chegarem mais pelo custo que não é alto, e não tanto pelo benefício. Mas como qualquer intercâmbio em qualquer área de atuação, a troca de informações e experiências é ótima. Ajuda o futebol. Nem sempre os próprios futebolistas.

Menon

Os clubes brasileiros ganham muito mais dinheiro da televisão e de patrocinadores do que seus colegas de continente. O Brasileirão tem potência na América do Sul semelhante à Liga Espanhola. As contratações, porém, precisam ser mais cuidadosas. Há que se desconfiar de um peruano ou paraguaio que não é convocado para sua seleção. Não é possível, por exemplo, contratar estrangeiros como Mouche, Patito, Wilder e outros. O Corinthians contratou Defederico por um dinheirão. E Pastore era o bom no Huracán. Além do cuidado na contratação, é necessária também uma prospecção cuidadosa. Contratar estrangeiros com 17, 18 anos antes da chegada dos europeus. É o caso de Dybala, que saiu da segunda divisão da Argentina para o Palermo. No grupo atual de estrangeiros no Brasil, vejo Calleri, Bolaños, Casares, Lucas Pratto, Martin Silva como os maiores acertos. Pouco para um total de quase 50.

Vitor Birner

Contratam jogadores do exterior porque falta qualidade no país. Os valores dos nascidos aqui são altos e compensa trazer os de nações com economias mais fracas. Nenhuma agremiação foi contratar na Espanha, Alemanha, Inglaterra ou Itália.  A maioria, apesar de ser indicada por empresários, agrega.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos