Bale faz sacrifícios por Cristiano Ronaldo. Mas a amizade é só em campo

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

  • Reuters / Juan Medina

Falta para o Real Madrid. Boa posição para o chute colocado do canhoto Gareth Bale. Na cobrança, Cristiano Ronaldo. O cenário comum é apenas um dos sacrifícios que o galês faz no clube espanhol para que o português brilhe. Ele ainda abre mão do posicionamento preferido, de cobranças de penalidade, da finalização ao invés do passe. Algo parecido com o trabalho Neymar no Barcelona de Messi.

A diferença para a dupla do Madrid está no relacionamento. Enquanto Neymar e Messi desfrutam de amizade dentro e fora de campo, Bale e Cristiano Ronaldo não se relacionam. Isso não significa uma inimizade. Apenas falta de empatia. Os jogadores se enfrentam no confronto entre Portugal x País de Gales, nesta quarta-feira, pela semifinal da Eurocopa.

"Aqui costumamos comparar Cristiano Ronaldo e Bale ao que passou com Shaquille O'Neal e Kobe Bryant nos (Los Angeles) Lakers. Um não é amigo do outro e precisam duelar pelo protagonismo. O Bale não frequenta a casa do Cristiano, nem sai para jantar com ele como o Marcelo ou o Pepe. Só que há um respeito enorme dentro de campo um pelo outro", contou Sergio Fernández, jornalista espanhol do diário Marca.

"Quando estava no Manchester United não falava fora de campo com Giggs, Scholes e Ferdinand, somente o habitual 'bom dia' e ganhamos a Liga dos Campeões (2008)", disse Cristiano Ronaldo em fevereiro deste ano, época em que à imprensa de Madri especulava uma crise de relacionamento com Bale.

A discussão da relação entre jogadores era forte na Espanha por conta do contraste vivido no Barcelona e Real Madrid. O Barça celebrava o bom momento vivido pelo tridente Neymar, Messi e Suárez com o treinador Luis Enrique comentado: "o ideal é que eles sejam amigos também fora de campo". A frase era utilizada como um contraponto com a falta de relação entre Cristiano Ronaldo, Bale e Benzema.

"Falamos em campo e isso é tudo que me importa. Se Bale ou Benzema vão a minha casa jantar? Isso não importa. Essa história de comidinhas, carinho, beijinho para mim não significa nada", comentou Cristiano Ronaldo quando perguntado sobre a colocação de Luis Enrique.

Efrem Lukatsky / AP
No discurso de Cristiano Ronaldo, só o campo importa. Nele, Bale sempre recebe abraços do português quando marca gol ou lhe dá uma assistência.

"O Cristiano Ronaldo se pudesse jogaria com 10 Bale ao lado. Ele quer os melhores do mundo do lado para seguir vencedor. E o Bale se sacrifica e não vê nenhum problema nisso", contou Sergio Fernandéz.

Cristiano Ronaldo e Bale já completaram quatro anos de parceria no Real Madrid. Ao menos aos poucos, a presença do galês em cobranças e falta se torna comum. Na Eurocopa foram dois gols marcados pelo jogador desta forma: nos duelos contra a Eslováquia e Inglaterra.

O grande problema ainda está no posicionamento. Cristiano Ronaldo sempre joga aberto pela esquerda no Real Madrid, a posição preferida de Bale. O lado direito é o que sobra ao galês para a formação do trio de ataque do Real Madrid.

É na seleção do País de Gales que Bale fica com o mesmo papel tático e técnico de Cristiano Ronaldo no Real Madrid. A classificação para a final da Eurocopa com vitória sobre Portugal do companheiro de clube é a oportunidade para mostrar que o sacrifício poderia mudar de lado.

"É um jogador fantástico (Cristiano Ronaldo), todos sabem o que ele pode fazer. Estamos concentrados no que podemos fazer como equipe e não em nos focarmos neste ou naquele jogador. O meu sonho é vencer o próximo jogo, nada mais. Não podemos aspirar a nada mais que isso", frisou Bale recusando tratar o confronto como um duelo particular.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos