Flu queria pacotão de reforços. Mas não é bem isso que vai ocorrer

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Montagem/UOL

    Pacotão de reforços emergencial do Fluminense não saiu como a diretoria queria

    Pacotão de reforços emergencial do Fluminense não saiu como a diretoria queria

Em péssimo momento na temporada, o Fluminense planejava apresentar nessa semana um pacotão emergencial de reforços. A ideia era anunciar quatro jogadores até o fim da janela internacional de transferências, mas não é isso que vai ocorrer na prática. Isso porque dois dos principais atletas que negociavam dificilmente vestirão a camisa do Tricolor.

Jesus Dátolo tinha tudo para chegar ao Fluminense. Estava tudo acertado entre time e jogador com relação a salário. Porém, problemas físicos não permitirão o argentino de entrar em campo tão cedo. Por esse motivo, o técnico Levir Culpi praticamente descarta a chegada.

"É um jogador de ótimo nível técnico, um cara vencedor, mas ele tem problemas com relação às questões físicas e médicas. Então, o espaço que ele necessita para jogar não cabe para nós. Fica difícil a negociação", disse o treinador do Fluminense.

A situação de Oscar Romero sempre foi mais complicada. Muito valorizado no Racing-ARG, o paraguaio irmão gêmeo de Ángel Romero, do Corinthians, recebeu duas propostas do Fluminense. Na primeira, o clube ofertou US$ 7 milhões (R$ 23,1 milhões) por 70% dos direitos do atleta, o que foi recusado. Agora, aumentou a quantia, mas também a fatia do jogador: US$ 8 milhões (25,6 milhões) por 80%. Nenhuma delas, porém, agradou.

A realidade é que o clube argentino não parece disposto a negociar o paraguaio por menos que os US$ 10 milhões, valor da multa rescisória do atleta. Além do Fluminense, o jogador interessa também a um time da MLS (liga dos Estados Unidos).

Se esses dois dificilmente vestirão a camisa do Fluminense, outra dupla está bastante encaminhada. Trata-se de Alexis Rojas e Wellington Silva. O primeiro é considerado a principal revelação do futebol paraguaio. O ídolo Romerito foi quem fez o primeiro contato e ajudou na negociação. O meia-atacante é esperado nessa semana para realizar exames e assinar com o Tricolor.

Wellington Silva, por sua vez, é um velho conhecido da torcida. Ele foi revelado nas categorias de base do próprio Fluminense, mas pouco jogou nos profissionais. Isso porque foi vendido muito rapidamente para o Arsenal-ING.  O problema é que ele jamais se firmou na Inglaterra e passou a rodar por vários times da Europa – Levante-ESP, Alcoyano, Ponferradina, Real Murcia, Almería e Bolton Wanders-ING.

Apesar da clara intimidade com a bola, o jogador acumula passagens sem sucesso por esses clubes. De volta ao Fluminense, o jogador, agora com 23 anos, tem a chance de retomar o bom futebol apresentado nas categorias de base.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos