7 motivos por que James Rodríguez não emplacou com Zidane no Real Madrid

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/JuanJo Martín

    James sofre com lesões, falta de confiança e problemas de comportamento, entre outros

    James sofre com lesões, falta de confiança e problemas de comportamento, entre outros

Os jornais espanhóis tanto de Madri como de Barcelona publicaram na última quinta-feira (14) que o talentoso meia colombiano James Rodríguez virou tema de desavença entre Florentino Pérez e Zinedine Zidane no Real Madrid.

Enquanto o presidente merengue acredita no futebol do artilheiro da Copa de 2014, o técnico e ídolo do Real apresenta resistência à permanência de James. Mas por quê? O UOL Esporte separou sete motivos que explicam as rusgas na convivência entre o técnico e o camisa 10 do Real Madrid.

1 - Casemiro em grande fase e escolha pelo 4-3-3

Steve Bardens - UEFA / Colaborador

Quando assumiu o Real, Zidane sacou Casemiro do time titular. Mas as grandes atuações do volante brasileiro à frente da zaga merengue conquistaram o treinador. E Casemiro virou peça fundamental, porque equilibra as ações ofensivas e defensivas do time. Além de ter bom passe e saída de jogo. Com ele no gramado, Zidane avança Luka Modric e Toni Kroos para linha de armação, monta a equipe no sistema 4-3-3 e ganha consistência no meio de campo. Com isso, o técnico do Real suaviza as responsabilidades defensivas do trio de ataque.

2 - C. Ronaldo, Benzema e Bale são intocáveis

PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP PHOTO

Por falar no trio de ataque do Real Madrid, Cristiano Ronaldo, Gareth Bale e Karim Benzema são considerados intocáveis por Zidane. E esse é mais um motivo para o momento difícil de James no clube merengue. Se, por um lado, ele não tem consistência e capacidade de marcação para atuar no meio de campo, por outro, não possui velocidade para substituir um dos três atacantes. É como se o craque colombiano fosse um jogador sem função nem posição no time de Zidane.

3 - Falta de confiança

Paul White/AP

Na temporada passada, James disputou 32 partidas no Real Madrid, nas quais marcou oito gols e deu 10 assistências. Nos quatro meses de Zidane no comando, porém, o capitão da seleção da Colômbia praticamente não jogou. Sim, ele sofreu com lesões e foi desfalque em muitas partidas. Mas no final da temporada, com o Real disputando o título da Liga dos Campeões, Zidane demonstrou toda sua desconfiança com James. Tanto que ele não deixou o banco de reservas nas duas partidas semifinais contra o Manchester City nem na decisão contra o Atlético de Madri. Nas quartas, diante do Wolfsburg, jogou apenas 28 minutos. Pelo espanhol, no principal jogo do Real sob comando de Zidane, vitória de virada por 2 a 1 contra o Barcelona, James também não jogou.

4 - Indiretas na seleção da Colômbia

AP

Que James se sente mais à vontade com a camisa da Colômbia, ninguém duvida. Suas atuações pela seleção nacional falam por si só. O problema é que quase sempre que vai bem pelos Cafeteros, o camisa 10 distribui indiretas. Na última rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, por exemplo, no fim de março, James marcou gol contra o líder Equador e disse depois que o importante era "jogar e contar com o apoio de todos". Segundo o jornal As, de Madri, a comissão técnica do Real entendeu o recado como indireta - e não gostou. Não foi a primeira vez, aliás, que isso aconteceu. O antecessor de Zidane, Rafa Benítez, já tinha sido alvo de James. Após ter sua forma física criticada pelo técnico, o meia colombiano ironizou as declarações de Benítez quando estava com a seleção da Colômbia.

5 - Excesso de lesões e falta de dedicação nos treinos

EFE/Kiko Huesca

Desde que chegou ao Real Madrid após a Copa do Mundo de 2014, James Rodríguez não passou uma temporada sem sofrer lesões. São as mais variadas possíveis: na panturrilha, no dedo do pé, no ombro. Apesar de parecer um "touro", como diz a imprensa em Madri, o meia colombiano tem se mostrado um jogador frágil. Com isso, James tem sofrido para acompanhar a forma física dos seus companheiros. Sem oportunidades para ganhar ritmo de jogo, o problema só aumenta sob comando de Zidane. Quem acompanha de perto o cotidiano do Real Madrid, aliás, diz que o principal motivo do rechaço do técnico a James é a falta de empenho do jogador nos treinos.

6 - Problemas de comportamento

Reprodução

Se não se dedica como Zidane gostaria nos treinamentos do Real Madrid, James já protagonizou alguns problemas de comportamento longe dos gramados. Além de ter se atrasado para alguns treinos, fato que não escapou à mídia espanhola, James chegou certa vez no CT do clube acompanhado da polícia. Detalhe: ele estava em fuga por excesso de velocidade. Diante da sinalização para parar o carro de luxo, ele seguiu em alta velocidade até o complexo de Valdebebas.

7 – Novos concorrentes

AP Photo/Andres Kudacki

O último motivo para James não emplacar no Real Madrid é a concorrência. Nomes de pouco apelo midiático, como Jesé e Lucas Vásquez, caíram no gosto de Zidane. O primeiro, de 23 anos, é atacante, joga com muita velocidade e tem mobilidade em campo para cobrir espaços pelas laterais. O segundo, de 25 anos, é meia, joga pela direita (faixa do campo em que James se sente à vontade), é aplicado taticamente e goza de prestígio com o treinador. Sem moral com Zidane hoje no Real Madrid, só mesmo James Rodríguez. Será que ele ainda vai dar certo no clube merengue? 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos